Oi Futuro http://www.oifuturo.org.br/custom-feeds/eventos-novo/ Feed RSS PT-BR Copyright Tue, 25 Apr 17 20:17:00 +0000 Oi Futuro Tue, 25 Apr 17 10:26:07 +0000 Tue, 25 Apr 17 10:26:07 +0000 Oi Futuro http://www.oifuturo.org.br/wp-content/themes/oifuturo/images/rss.png http://www.oifuturo.org.br/custom-feeds/eventos-novo/ <![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CARTAS A LUMIÈRE – A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 Curadoria: Alberto Saraiva Vencedor do prêmio de arte digital The Lumen Prize na categoria ''Prêmio do Público" e de Melhor Filme Experimental pela Associação Alemã de Críticos de Cinema, o artista multimídia e cineasta Fabiano Mixo, carioca residente em Berlim, apresenta sua mais recente obra. “CARTAS A LUMIÈRE - A chegada do trem à estação” é uma videoinstalação imersiva que confronta as origens do cinema com novas tecnologias e espaços urbanos e virtuais, mesclando artes visuais, cinema e interatividade. Traça um paralelo entre as primeiras reações do público do Grand Café de Paris, em 1895, e a excitação contemporânea diante da Realidade Virtual. Conta com uma projeção panorâmica e uma paisagem sonora imersiva, bem como um óculos de Realidade Virtual, com o qual o visitante poderá assistir um filme em 360º, híbrido entre ficção e documentário, que recria o filme pioneiro dos irmãos Lumière para os trens e plataformas da Central do Brasil. Mixo trabalha com linguagens híbridas e novas tecnologias para recontextualizar a História a partir de perspectivas multiculturais, e nessa obra investiga os novos ambientes virtuais a partir de um olhar sobre trens e trabalhadores – as primeiras personagens do Cinema.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 2 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/cartasalumiere.png <![CDATA[MINOTAUROS]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 Cyriaco Lopes e Terri Witek. Curadoria: Alberto Saraiva Artista visual, radicado em Nova York, Cyriaco Lopes participou de mostras em espaços importantes no Brasil, como MASP,  MAM do Rio e Salvador, Funarte, Hélio Oiticica;  nos Estados Unidos - Museus de Arte Contemporânea de Baltimore e Saint Louis, El Museo del Barrio, Anya and Andrew Shiva Gallery e Apexart em Nova York; e em instituições na França, Itália, Turquia, Armênia, Portugal e Islândia. O trabalho de Cyriaco Lopes foi incluído em curadorias de Lygia Pape, Janine Antoni, Luciano Fabro, Ryan Trecartin, Paulo Herkenhoff, Adriano Pedrosa e, este ano, pelo curador chefe de fotografia do Walker Art Center e a curadora chefe do California Museum of Photography. Poeta norte-americana, que já morou no Brasil, Terri Witek escreveu vários volumes de poesia: “Body Switch” (2016), “Exit Island” (Prêmio Florida Book Awards), “The Shipwreck Dress” (Prêmio Florida Book Awards), “Carnal World”, “Fools and Crows”, “Courting Couples” (Prêmio do Center for Book Arts), “First Shot at Fort Sumter/ Possum, on gavdos ferry” e “Robert Lowell and LIFE STUDIES: Revising the Self”. Sua obra foi incluída em várias antologias de poesia. Terry Witek, assim como Cyriaco Lopes, lecionam no Mestrado em Poesia do Campo Ampliado da Stetson University.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 4 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/poesiavisual.jpeg <![CDATA[O JARDIM DO ÉDEN E O SANGUE DA GÓRGONA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 CLAUDIA BAKKER EM SOBRE AS POTÊNCIAS DO ORGÂNICO 1995/2017 Curadoria: Alberto Saraiva Ensaio fotográfico realizado por Claudia Bakker com Wilton Montenegro, que ativa poéticas ligadas à vida e morte, à natureza, ao feminino e seu contexto imagético e simbólico. Esse trabalho faz parte de uma edição de livro-objeto com concepção de Artur Barrio e  Marcio Doctors. Artista plástica carioca, Claudia vem construindo sensíveis trabalhos, sejam em suas grandes instalações com material orgânico, como maçãs, sejam em outras séries que experimentam diferentes formas poéticas sobre o tempo e sua ação.  Sua obra encontra-se dentro de um contexto histórico ligado a afinidades poéticas no experimentalismo conceitual dos anos 70 e na relação entre arte, corpo e natureza na cena contemporânea desde meados dos anos 90. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/mockup1_bakker.jpg <![CDATA[DANÇA.MOV: CIDADE EM MOVIMENTO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 Direção: Gustavo Gelmini Direção de Movimento: Alex Neoral, Renato Cruz e Renato Vieira Interpretação e Criação de Movimento: Alex Neoral, Barbara Lima, Bruno Cezario, Carol Pires, Clarice Silva, Daniel Oliveira (Kirikou), Fabiana Nunes, Gabriela Leite, José Leandro, Marcio Jahú, Monica Burity, Renato Cruz, Soraya Bastos, Tiago Oliveira e Wellington Tutty A relação entre cinema e dança ganha contornos urbanos em uma cidade de diversos movimentos e olhares. Videodança é o resultado da interferência da tecnologia no fazer artístico da dança, uma obra audiovisual híbrida entre vídeo e coreografia. Serão exibidas dez videodanças criadas para locações específicas no Rio de Janeiro, gravadas a partir da seleção de pontos da cidade como: Centro, Arpoador, Praça XV, MAM, Pedra do Sal, Escadaria do Selarón, Pier Mauá, Lagoa, Vidigal e Floresta da Tijuca. O projeto é uma realização da Burburinho Cultural e Cia Gelmini de Videodança. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 5 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/Dança.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[CENAS DE PALHAÇO COM DONA PEITOLA - ESPECIAL PARA BEBÊS]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13642 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13642 Dia 29 de abril, sábado, 10h | Nível 6 *Até 10 bebês *Inscrição prévia pelo e-mail: programaeducativo.oifuturo@gmail.com]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/11/palhça-peitola-2.jpg <![CDATA[A ESCUTA DO CORPO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13641 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13641 Dia 29 de abril, sábado, 15h | Nível 6 Público: Família (até 20 participantes)]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/07/COVER_FB_OI_FUTURO_maio16.png <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CARTAS A LUMIÈRE – A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 Curadoria: Alberto Saraiva Vencedor do prêmio de arte digital The Lumen Prize na categoria ''Prêmio do Público" e de Melhor Filme Experimental pela Associação Alemã de Críticos de Cinema, o artista multimídia e cineasta Fabiano Mixo, carioca residente em Berlim, apresenta sua mais recente obra. “CARTAS A LUMIÈRE - A chegada do trem à estação” é uma videoinstalação imersiva que confronta as origens do cinema com novas tecnologias e espaços urbanos e virtuais, mesclando artes visuais, cinema e interatividade. Traça um paralelo entre as primeiras reações do público do Grand Café de Paris, em 1895, e a excitação contemporânea diante da Realidade Virtual. Conta com uma projeção panorâmica e uma paisagem sonora imersiva, bem como um óculos de Realidade Virtual, com o qual o visitante poderá assistir um filme em 360º, híbrido entre ficção e documentário, que recria o filme pioneiro dos irmãos Lumière para os trens e plataformas da Central do Brasil. Mixo trabalha com linguagens híbridas e novas tecnologias para recontextualizar a História a partir de perspectivas multiculturais, e nessa obra investiga os novos ambientes virtuais a partir de um olhar sobre trens e trabalhadores – as primeiras personagens do Cinema.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 2 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/cartasalumiere.png <![CDATA[MINOTAUROS]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 Cyriaco Lopes e Terri Witek. Curadoria: Alberto Saraiva Artista visual, radicado em Nova York, Cyriaco Lopes participou de mostras em espaços importantes no Brasil, como MASP,  MAM do Rio e Salvador, Funarte, Hélio Oiticica;  nos Estados Unidos - Museus de Arte Contemporânea de Baltimore e Saint Louis, El Museo del Barrio, Anya and Andrew Shiva Gallery e Apexart em Nova York; e em instituições na França, Itália, Turquia, Armênia, Portugal e Islândia. O trabalho de Cyriaco Lopes foi incluído em curadorias de Lygia Pape, Janine Antoni, Luciano Fabro, Ryan Trecartin, Paulo Herkenhoff, Adriano Pedrosa e, este ano, pelo curador chefe de fotografia do Walker Art Center e a curadora chefe do California Museum of Photography. Poeta norte-americana, que já morou no Brasil, Terri Witek escreveu vários volumes de poesia: “Body Switch” (2016), “Exit Island” (Prêmio Florida Book Awards), “The Shipwreck Dress” (Prêmio Florida Book Awards), “Carnal World”, “Fools and Crows”, “Courting Couples” (Prêmio do Center for Book Arts), “First Shot at Fort Sumter/ Possum, on gavdos ferry” e “Robert Lowell and LIFE STUDIES: Revising the Self”. Sua obra foi incluída em várias antologias de poesia. Terry Witek, assim como Cyriaco Lopes, lecionam no Mestrado em Poesia do Campo Ampliado da Stetson University.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 4 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/poesiavisual.jpeg <![CDATA[O JARDIM DO ÉDEN E O SANGUE DA GÓRGONA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 CLAUDIA BAKKER EM SOBRE AS POTÊNCIAS DO ORGÂNICO 1995/2017 Curadoria: Alberto Saraiva Ensaio fotográfico realizado por Claudia Bakker com Wilton Montenegro, que ativa poéticas ligadas à vida e morte, à natureza, ao feminino e seu contexto imagético e simbólico. Esse trabalho faz parte de uma edição de livro-objeto com concepção de Artur Barrio e  Marcio Doctors. Artista plástica carioca, Claudia vem construindo sensíveis trabalhos, sejam em suas grandes instalações com material orgânico, como maçãs, sejam em outras séries que experimentam diferentes formas poéticas sobre o tempo e sua ação.  Sua obra encontra-se dentro de um contexto histórico ligado a afinidades poéticas no experimentalismo conceitual dos anos 70 e na relação entre arte, corpo e natureza na cena contemporânea desde meados dos anos 90. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/mockup1_bakker.jpg <![CDATA[DANÇA.MOV: CIDADE EM MOVIMENTO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 Direção: Gustavo Gelmini Direção de Movimento: Alex Neoral, Renato Cruz e Renato Vieira Interpretação e Criação de Movimento: Alex Neoral, Barbara Lima, Bruno Cezario, Carol Pires, Clarice Silva, Daniel Oliveira (Kirikou), Fabiana Nunes, Gabriela Leite, José Leandro, Marcio Jahú, Monica Burity, Renato Cruz, Soraya Bastos, Tiago Oliveira e Wellington Tutty A relação entre cinema e dança ganha contornos urbanos em uma cidade de diversos movimentos e olhares. Videodança é o resultado da interferência da tecnologia no fazer artístico da dança, uma obra audiovisual híbrida entre vídeo e coreografia. Serão exibidas dez videodanças criadas para locações específicas no Rio de Janeiro, gravadas a partir da seleção de pontos da cidade como: Centro, Arpoador, Praça XV, MAM, Pedra do Sal, Escadaria do Selarón, Pier Mauá, Lagoa, Vidigal e Floresta da Tijuca. O projeto é uma realização da Burburinho Cultural e Cia Gelmini de Videodança. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 5 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/Dança.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CARTAS A LUMIÈRE – A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 Curadoria: Alberto Saraiva Vencedor do prêmio de arte digital The Lumen Prize na categoria ''Prêmio do Público" e de Melhor Filme Experimental pela Associação Alemã de Críticos de Cinema, o artista multimídia e cineasta Fabiano Mixo, carioca residente em Berlim, apresenta sua mais recente obra. “CARTAS A LUMIÈRE - A chegada do trem à estação” é uma videoinstalação imersiva que confronta as origens do cinema com novas tecnologias e espaços urbanos e virtuais, mesclando artes visuais, cinema e interatividade. Traça um paralelo entre as primeiras reações do público do Grand Café de Paris, em 1895, e a excitação contemporânea diante da Realidade Virtual. Conta com uma projeção panorâmica e uma paisagem sonora imersiva, bem como um óculos de Realidade Virtual, com o qual o visitante poderá assistir um filme em 360º, híbrido entre ficção e documentário, que recria o filme pioneiro dos irmãos Lumière para os trens e plataformas da Central do Brasil. Mixo trabalha com linguagens híbridas e novas tecnologias para recontextualizar a História a partir de perspectivas multiculturais, e nessa obra investiga os novos ambientes virtuais a partir de um olhar sobre trens e trabalhadores – as primeiras personagens do Cinema.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 2 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/cartasalumiere.png <![CDATA[MINOTAUROS]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 Cyriaco Lopes e Terri Witek. Curadoria: Alberto Saraiva Artista visual, radicado em Nova York, Cyriaco Lopes participou de mostras em espaços importantes no Brasil, como MASP,  MAM do Rio e Salvador, Funarte, Hélio Oiticica;  nos Estados Unidos - Museus de Arte Contemporânea de Baltimore e Saint Louis, El Museo del Barrio, Anya and Andrew Shiva Gallery e Apexart em Nova York; e em instituições na França, Itália, Turquia, Armênia, Portugal e Islândia. O trabalho de Cyriaco Lopes foi incluído em curadorias de Lygia Pape, Janine Antoni, Luciano Fabro, Ryan Trecartin, Paulo Herkenhoff, Adriano Pedrosa e, este ano, pelo curador chefe de fotografia do Walker Art Center e a curadora chefe do California Museum of Photography. Poeta norte-americana, que já morou no Brasil, Terri Witek escreveu vários volumes de poesia: “Body Switch” (2016), “Exit Island” (Prêmio Florida Book Awards), “The Shipwreck Dress” (Prêmio Florida Book Awards), “Carnal World”, “Fools and Crows”, “Courting Couples” (Prêmio do Center for Book Arts), “First Shot at Fort Sumter/ Possum, on gavdos ferry” e “Robert Lowell and LIFE STUDIES: Revising the Self”. Sua obra foi incluída em várias antologias de poesia. Terry Witek, assim como Cyriaco Lopes, lecionam no Mestrado em Poesia do Campo Ampliado da Stetson University.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 4 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/poesiavisual.jpeg <![CDATA[O JARDIM DO ÉDEN E O SANGUE DA GÓRGONA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 CLAUDIA BAKKER EM SOBRE AS POTÊNCIAS DO ORGÂNICO 1995/2017 Curadoria: Alberto Saraiva Ensaio fotográfico realizado por Claudia Bakker com Wilton Montenegro, que ativa poéticas ligadas à vida e morte, à natureza, ao feminino e seu contexto imagético e simbólico. Esse trabalho faz parte de uma edição de livro-objeto com concepção de Artur Barrio e  Marcio Doctors. Artista plástica carioca, Claudia vem construindo sensíveis trabalhos, sejam em suas grandes instalações com material orgânico, como maçãs, sejam em outras séries que experimentam diferentes formas poéticas sobre o tempo e sua ação.  Sua obra encontra-se dentro de um contexto histórico ligado a afinidades poéticas no experimentalismo conceitual dos anos 70 e na relação entre arte, corpo e natureza na cena contemporânea desde meados dos anos 90. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/mockup1_bakker.jpg <![CDATA[DANÇA.MOV: CIDADE EM MOVIMENTO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 Direção: Gustavo Gelmini Direção de Movimento: Alex Neoral, Renato Cruz e Renato Vieira Interpretação e Criação de Movimento: Alex Neoral, Barbara Lima, Bruno Cezario, Carol Pires, Clarice Silva, Daniel Oliveira (Kirikou), Fabiana Nunes, Gabriela Leite, José Leandro, Marcio Jahú, Monica Burity, Renato Cruz, Soraya Bastos, Tiago Oliveira e Wellington Tutty A relação entre cinema e dança ganha contornos urbanos em uma cidade de diversos movimentos e olhares. Videodança é o resultado da interferência da tecnologia no fazer artístico da dança, uma obra audiovisual híbrida entre vídeo e coreografia. Serão exibidas dez videodanças criadas para locações específicas no Rio de Janeiro, gravadas a partir da seleção de pontos da cidade como: Centro, Arpoador, Praça XV, MAM, Pedra do Sal, Escadaria do Selarón, Pier Mauá, Lagoa, Vidigal e Floresta da Tijuca. O projeto é uma realização da Burburinho Cultural e Cia Gelmini de Videodança. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 5 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/Dança.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CARTAS A LUMIÈRE – A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 Curadoria: Alberto Saraiva Vencedor do prêmio de arte digital The Lumen Prize na categoria ''Prêmio do Público" e de Melhor Filme Experimental pela Associação Alemã de Críticos de Cinema, o artista multimídia e cineasta Fabiano Mixo, carioca residente em Berlim, apresenta sua mais recente obra. “CARTAS A LUMIÈRE - A chegada do trem à estação” é uma videoinstalação imersiva que confronta as origens do cinema com novas tecnologias e espaços urbanos e virtuais, mesclando artes visuais, cinema e interatividade. Traça um paralelo entre as primeiras reações do público do Grand Café de Paris, em 1895, e a excitação contemporânea diante da Realidade Virtual. Conta com uma projeção panorâmica e uma paisagem sonora imersiva, bem como um óculos de Realidade Virtual, com o qual o visitante poderá assistir um filme em 360º, híbrido entre ficção e documentário, que recria o filme pioneiro dos irmãos Lumière para os trens e plataformas da Central do Brasil. Mixo trabalha com linguagens híbridas e novas tecnologias para recontextualizar a História a partir de perspectivas multiculturais, e nessa obra investiga os novos ambientes virtuais a partir de um olhar sobre trens e trabalhadores – as primeiras personagens do Cinema.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 2 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/cartasalumiere.png <![CDATA[MINOTAUROS]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 Cyriaco Lopes e Terri Witek. Curadoria: Alberto Saraiva Artista visual, radicado em Nova York, Cyriaco Lopes participou de mostras em espaços importantes no Brasil, como MASP,  MAM do Rio e Salvador, Funarte, Hélio Oiticica;  nos Estados Unidos - Museus de Arte Contemporânea de Baltimore e Saint Louis, El Museo del Barrio, Anya and Andrew Shiva Gallery e Apexart em Nova York; e em instituições na França, Itália, Turquia, Armênia, Portugal e Islândia. O trabalho de Cyriaco Lopes foi incluído em curadorias de Lygia Pape, Janine Antoni, Luciano Fabro, Ryan Trecartin, Paulo Herkenhoff, Adriano Pedrosa e, este ano, pelo curador chefe de fotografia do Walker Art Center e a curadora chefe do California Museum of Photography. Poeta norte-americana, que já morou no Brasil, Terri Witek escreveu vários volumes de poesia: “Body Switch” (2016), “Exit Island” (Prêmio Florida Book Awards), “The Shipwreck Dress” (Prêmio Florida Book Awards), “Carnal World”, “Fools and Crows”, “Courting Couples” (Prêmio do Center for Book Arts), “First Shot at Fort Sumter/ Possum, on gavdos ferry” e “Robert Lowell and LIFE STUDIES: Revising the Self”. Sua obra foi incluída em várias antologias de poesia. Terry Witek, assim como Cyriaco Lopes, lecionam no Mestrado em Poesia do Campo Ampliado da Stetson University.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 4 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/poesiavisual.jpeg <![CDATA[O JARDIM DO ÉDEN E O SANGUE DA GÓRGONA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 CLAUDIA BAKKER EM SOBRE AS POTÊNCIAS DO ORGÂNICO 1995/2017 Curadoria: Alberto Saraiva Ensaio fotográfico realizado por Claudia Bakker com Wilton Montenegro, que ativa poéticas ligadas à vida e morte, à natureza, ao feminino e seu contexto imagético e simbólico. Esse trabalho faz parte de uma edição de livro-objeto com concepção de Artur Barrio e  Marcio Doctors. Artista plástica carioca, Claudia vem construindo sensíveis trabalhos, sejam em suas grandes instalações com material orgânico, como maçãs, sejam em outras séries que experimentam diferentes formas poéticas sobre o tempo e sua ação.  Sua obra encontra-se dentro de um contexto histórico ligado a afinidades poéticas no experimentalismo conceitual dos anos 70 e na relação entre arte, corpo e natureza na cena contemporânea desde meados dos anos 90. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/mockup1_bakker.jpg <![CDATA[DANÇA.MOV: CIDADE EM MOVIMENTO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 Direção: Gustavo Gelmini Direção de Movimento: Alex Neoral, Renato Cruz e Renato Vieira Interpretação e Criação de Movimento: Alex Neoral, Barbara Lima, Bruno Cezario, Carol Pires, Clarice Silva, Daniel Oliveira (Kirikou), Fabiana Nunes, Gabriela Leite, José Leandro, Marcio Jahú, Monica Burity, Renato Cruz, Soraya Bastos, Tiago Oliveira e Wellington Tutty A relação entre cinema e dança ganha contornos urbanos em uma cidade de diversos movimentos e olhares. Videodança é o resultado da interferência da tecnologia no fazer artístico da dança, uma obra audiovisual híbrida entre vídeo e coreografia. Serão exibidas dez videodanças criadas para locações específicas no Rio de Janeiro, gravadas a partir da seleção de pontos da cidade como: Centro, Arpoador, Praça XV, MAM, Pedra do Sal, Escadaria do Selarón, Pier Mauá, Lagoa, Vidigal e Floresta da Tijuca. O projeto é uma realização da Burburinho Cultural e Cia Gelmini de Videodança. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 5 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/Dança.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CARTAS A LUMIÈRE – A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 Curadoria: Alberto Saraiva Vencedor do prêmio de arte digital The Lumen Prize na categoria ''Prêmio do Público" e de Melhor Filme Experimental pela Associação Alemã de Críticos de Cinema, o artista multimídia e cineasta Fabiano Mixo, carioca residente em Berlim, apresenta sua mais recente obra. “CARTAS A LUMIÈRE - A chegada do trem à estação” é uma videoinstalação imersiva que confronta as origens do cinema com novas tecnologias e espaços urbanos e virtuais, mesclando artes visuais, cinema e interatividade. Traça um paralelo entre as primeiras reações do público do Grand Café de Paris, em 1895, e a excitação contemporânea diante da Realidade Virtual. Conta com uma projeção panorâmica e uma paisagem sonora imersiva, bem como um óculos de Realidade Virtual, com o qual o visitante poderá assistir um filme em 360º, híbrido entre ficção e documentário, que recria o filme pioneiro dos irmãos Lumière para os trens e plataformas da Central do Brasil. Mixo trabalha com linguagens híbridas e novas tecnologias para recontextualizar a História a partir de perspectivas multiculturais, e nessa obra investiga os novos ambientes virtuais a partir de um olhar sobre trens e trabalhadores – as primeiras personagens do Cinema.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 2 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/cartasalumiere.png <![CDATA[MINOTAUROS]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 Cyriaco Lopes e Terri Witek. Curadoria: Alberto Saraiva Artista visual, radicado em Nova York, Cyriaco Lopes participou de mostras em espaços importantes no Brasil, como MASP,  MAM do Rio e Salvador, Funarte, Hélio Oiticica;  nos Estados Unidos - Museus de Arte Contemporânea de Baltimore e Saint Louis, El Museo del Barrio, Anya and Andrew Shiva Gallery e Apexart em Nova York; e em instituições na França, Itália, Turquia, Armênia, Portugal e Islândia. O trabalho de Cyriaco Lopes foi incluído em curadorias de Lygia Pape, Janine Antoni, Luciano Fabro, Ryan Trecartin, Paulo Herkenhoff, Adriano Pedrosa e, este ano, pelo curador chefe de fotografia do Walker Art Center e a curadora chefe do California Museum of Photography. Poeta norte-americana, que já morou no Brasil, Terri Witek escreveu vários volumes de poesia: “Body Switch” (2016), “Exit Island” (Prêmio Florida Book Awards), “The Shipwreck Dress” (Prêmio Florida Book Awards), “Carnal World”, “Fools and Crows”, “Courting Couples” (Prêmio do Center for Book Arts), “First Shot at Fort Sumter/ Possum, on gavdos ferry” e “Robert Lowell and LIFE STUDIES: Revising the Self”. Sua obra foi incluída em várias antologias de poesia. Terry Witek, assim como Cyriaco Lopes, lecionam no Mestrado em Poesia do Campo Ampliado da Stetson University.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 4 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/poesiavisual.jpeg <![CDATA[O JARDIM DO ÉDEN E O SANGUE DA GÓRGONA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 CLAUDIA BAKKER EM SOBRE AS POTÊNCIAS DO ORGÂNICO 1995/2017 Curadoria: Alberto Saraiva Ensaio fotográfico realizado por Claudia Bakker com Wilton Montenegro, que ativa poéticas ligadas à vida e morte, à natureza, ao feminino e seu contexto imagético e simbólico. Esse trabalho faz parte de uma edição de livro-objeto com concepção de Artur Barrio e  Marcio Doctors. Artista plástica carioca, Claudia vem construindo sensíveis trabalhos, sejam em suas grandes instalações com material orgânico, como maçãs, sejam em outras séries que experimentam diferentes formas poéticas sobre o tempo e sua ação.  Sua obra encontra-se dentro de um contexto histórico ligado a afinidades poéticas no experimentalismo conceitual dos anos 70 e na relação entre arte, corpo e natureza na cena contemporânea desde meados dos anos 90. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/mockup1_bakker.jpg <![CDATA[DANÇA.MOV: CIDADE EM MOVIMENTO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 Direção: Gustavo Gelmini Direção de Movimento: Alex Neoral, Renato Cruz e Renato Vieira Interpretação e Criação de Movimento: Alex Neoral, Barbara Lima, Bruno Cezario, Carol Pires, Clarice Silva, Daniel Oliveira (Kirikou), Fabiana Nunes, Gabriela Leite, José Leandro, Marcio Jahú, Monica Burity, Renato Cruz, Soraya Bastos, Tiago Oliveira e Wellington Tutty A relação entre cinema e dança ganha contornos urbanos em uma cidade de diversos movimentos e olhares. Videodança é o resultado da interferência da tecnologia no fazer artístico da dança, uma obra audiovisual híbrida entre vídeo e coreografia. Serão exibidas dez videodanças criadas para locações específicas no Rio de Janeiro, gravadas a partir da seleção de pontos da cidade como: Centro, Arpoador, Praça XV, MAM, Pedra do Sal, Escadaria do Selarón, Pier Mauá, Lagoa, Vidigal e Floresta da Tijuca. O projeto é uma realização da Burburinho Cultural e Cia Gelmini de Videodança. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 5 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/Dança.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CARTAS A LUMIÈRE – A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 Curadoria: Alberto Saraiva Vencedor do prêmio de arte digital The Lumen Prize na categoria ''Prêmio do Público" e de Melhor Filme Experimental pela Associação Alemã de Críticos de Cinema, o artista multimídia e cineasta Fabiano Mixo, carioca residente em Berlim, apresenta sua mais recente obra. “CARTAS A LUMIÈRE - A chegada do trem à estação” é uma videoinstalação imersiva que confronta as origens do cinema com novas tecnologias e espaços urbanos e virtuais, mesclando artes visuais, cinema e interatividade. Traça um paralelo entre as primeiras reações do público do Grand Café de Paris, em 1895, e a excitação contemporânea diante da Realidade Virtual. Conta com uma projeção panorâmica e uma paisagem sonora imersiva, bem como um óculos de Realidade Virtual, com o qual o visitante poderá assistir um filme em 360º, híbrido entre ficção e documentário, que recria o filme pioneiro dos irmãos Lumière para os trens e plataformas da Central do Brasil. Mixo trabalha com linguagens híbridas e novas tecnologias para recontextualizar a História a partir de perspectivas multiculturais, e nessa obra investiga os novos ambientes virtuais a partir de um olhar sobre trens e trabalhadores – as primeiras personagens do Cinema.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 2 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/cartasalumiere.png <![CDATA[MINOTAUROS]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 Cyriaco Lopes e Terri Witek. Curadoria: Alberto Saraiva Artista visual, radicado em Nova York, Cyriaco Lopes participou de mostras em espaços importantes no Brasil, como MASP,  MAM do Rio e Salvador, Funarte, Hélio Oiticica;  nos Estados Unidos - Museus de Arte Contemporânea de Baltimore e Saint Louis, El Museo del Barrio, Anya and Andrew Shiva Gallery e Apexart em Nova York; e em instituições na França, Itália, Turquia, Armênia, Portugal e Islândia. O trabalho de Cyriaco Lopes foi incluído em curadorias de Lygia Pape, Janine Antoni, Luciano Fabro, Ryan Trecartin, Paulo Herkenhoff, Adriano Pedrosa e, este ano, pelo curador chefe de fotografia do Walker Art Center e a curadora chefe do California Museum of Photography. Poeta norte-americana, que já morou no Brasil, Terri Witek escreveu vários volumes de poesia: “Body Switch” (2016), “Exit Island” (Prêmio Florida Book Awards), “The Shipwreck Dress” (Prêmio Florida Book Awards), “Carnal World”, “Fools and Crows”, “Courting Couples” (Prêmio do Center for Book Arts), “First Shot at Fort Sumter/ Possum, on gavdos ferry” e “Robert Lowell and LIFE STUDIES: Revising the Self”. Sua obra foi incluída em várias antologias de poesia. Terry Witek, assim como Cyriaco Lopes, lecionam no Mestrado em Poesia do Campo Ampliado da Stetson University.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 4 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/poesiavisual.jpeg <![CDATA[O JARDIM DO ÉDEN E O SANGUE DA GÓRGONA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 CLAUDIA BAKKER EM SOBRE AS POTÊNCIAS DO ORGÂNICO 1995/2017 Curadoria: Alberto Saraiva Ensaio fotográfico realizado por Claudia Bakker com Wilton Montenegro, que ativa poéticas ligadas à vida e morte, à natureza, ao feminino e seu contexto imagético e simbólico. Esse trabalho faz parte de uma edição de livro-objeto com concepção de Artur Barrio e  Marcio Doctors. Artista plástica carioca, Claudia vem construindo sensíveis trabalhos, sejam em suas grandes instalações com material orgânico, como maçãs, sejam em outras séries que experimentam diferentes formas poéticas sobre o tempo e sua ação.  Sua obra encontra-se dentro de um contexto histórico ligado a afinidades poéticas no experimentalismo conceitual dos anos 70 e na relação entre arte, corpo e natureza na cena contemporânea desde meados dos anos 90. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/mockup1_bakker.jpg <![CDATA[DANÇA.MOV: CIDADE EM MOVIMENTO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 Direção: Gustavo Gelmini Direção de Movimento: Alex Neoral, Renato Cruz e Renato Vieira Interpretação e Criação de Movimento: Alex Neoral, Barbara Lima, Bruno Cezario, Carol Pires, Clarice Silva, Daniel Oliveira (Kirikou), Fabiana Nunes, Gabriela Leite, José Leandro, Marcio Jahú, Monica Burity, Renato Cruz, Soraya Bastos, Tiago Oliveira e Wellington Tutty A relação entre cinema e dança ganha contornos urbanos em uma cidade de diversos movimentos e olhares. Videodança é o resultado da interferência da tecnologia no fazer artístico da dança, uma obra audiovisual híbrida entre vídeo e coreografia. Serão exibidas dez videodanças criadas para locações específicas no Rio de Janeiro, gravadas a partir da seleção de pontos da cidade como: Centro, Arpoador, Praça XV, MAM, Pedra do Sal, Escadaria do Selarón, Pier Mauá, Lagoa, Vidigal e Floresta da Tijuca. O projeto é uma realização da Burburinho Cultural e Cia Gelmini de Videodança. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 5 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/Dança.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CARTAS A LUMIÈRE – A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 Curadoria: Alberto Saraiva Vencedor do prêmio de arte digital The Lumen Prize na categoria ''Prêmio do Público" e de Melhor Filme Experimental pela Associação Alemã de Críticos de Cinema, o artista multimídia e cineasta Fabiano Mixo, carioca residente em Berlim, apresenta sua mais recente obra. “CARTAS A LUMIÈRE - A chegada do trem à estação” é uma videoinstalação imersiva que confronta as origens do cinema com novas tecnologias e espaços urbanos e virtuais, mesclando artes visuais, cinema e interatividade. Traça um paralelo entre as primeiras reações do público do Grand Café de Paris, em 1895, e a excitação contemporânea diante da Realidade Virtual. Conta com uma projeção panorâmica e uma paisagem sonora imersiva, bem como um óculos de Realidade Virtual, com o qual o visitante poderá assistir um filme em 360º, híbrido entre ficção e documentário, que recria o filme pioneiro dos irmãos Lumière para os trens e plataformas da Central do Brasil. Mixo trabalha com linguagens híbridas e novas tecnologias para recontextualizar a História a partir de perspectivas multiculturais, e nessa obra investiga os novos ambientes virtuais a partir de um olhar sobre trens e trabalhadores – as primeiras personagens do Cinema.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 2 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/cartasalumiere.png <![CDATA[MINOTAUROS]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 Cyriaco Lopes e Terri Witek. Curadoria: Alberto Saraiva Artista visual, radicado em Nova York, Cyriaco Lopes participou de mostras em espaços importantes no Brasil, como MASP,  MAM do Rio e Salvador, Funarte, Hélio Oiticica;  nos Estados Unidos - Museus de Arte Contemporânea de Baltimore e Saint Louis, El Museo del Barrio, Anya and Andrew Shiva Gallery e Apexart em Nova York; e em instituições na França, Itália, Turquia, Armênia, Portugal e Islândia. O trabalho de Cyriaco Lopes foi incluído em curadorias de Lygia Pape, Janine Antoni, Luciano Fabro, Ryan Trecartin, Paulo Herkenhoff, Adriano Pedrosa e, este ano, pelo curador chefe de fotografia do Walker Art Center e a curadora chefe do California Museum of Photography. Poeta norte-americana, que já morou no Brasil, Terri Witek escreveu vários volumes de poesia: “Body Switch” (2016), “Exit Island” (Prêmio Florida Book Awards), “The Shipwreck Dress” (Prêmio Florida Book Awards), “Carnal World”, “Fools and Crows”, “Courting Couples” (Prêmio do Center for Book Arts), “First Shot at Fort Sumter/ Possum, on gavdos ferry” e “Robert Lowell and LIFE STUDIES: Revising the Self”. Sua obra foi incluída em várias antologias de poesia. Terry Witek, assim como Cyriaco Lopes, lecionam no Mestrado em Poesia do Campo Ampliado da Stetson University.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 4 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/poesiavisual.jpeg <![CDATA[O JARDIM DO ÉDEN E O SANGUE DA GÓRGONA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 CLAUDIA BAKKER EM SOBRE AS POTÊNCIAS DO ORGÂNICO 1995/2017 Curadoria: Alberto Saraiva Ensaio fotográfico realizado por Claudia Bakker com Wilton Montenegro, que ativa poéticas ligadas à vida e morte, à natureza, ao feminino e seu contexto imagético e simbólico. Esse trabalho faz parte de uma edição de livro-objeto com concepção de Artur Barrio e  Marcio Doctors. Artista plástica carioca, Claudia vem construindo sensíveis trabalhos, sejam em suas grandes instalações com material orgânico, como maçãs, sejam em outras séries que experimentam diferentes formas poéticas sobre o tempo e sua ação.  Sua obra encontra-se dentro de um contexto histórico ligado a afinidades poéticas no experimentalismo conceitual dos anos 70 e na relação entre arte, corpo e natureza na cena contemporânea desde meados dos anos 90. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/mockup1_bakker.jpg <![CDATA[DANÇA.MOV: CIDADE EM MOVIMENTO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 Direção: Gustavo Gelmini Direção de Movimento: Alex Neoral, Renato Cruz e Renato Vieira Interpretação e Criação de Movimento: Alex Neoral, Barbara Lima, Bruno Cezario, Carol Pires, Clarice Silva, Daniel Oliveira (Kirikou), Fabiana Nunes, Gabriela Leite, José Leandro, Marcio Jahú, Monica Burity, Renato Cruz, Soraya Bastos, Tiago Oliveira e Wellington Tutty A relação entre cinema e dança ganha contornos urbanos em uma cidade de diversos movimentos e olhares. Videodança é o resultado da interferência da tecnologia no fazer artístico da dança, uma obra audiovisual híbrida entre vídeo e coreografia. Serão exibidas dez videodanças criadas para locações específicas no Rio de Janeiro, gravadas a partir da seleção de pontos da cidade como: Centro, Arpoador, Praça XV, MAM, Pedra do Sal, Escadaria do Selarón, Pier Mauá, Lagoa, Vidigal e Floresta da Tijuca. O projeto é uma realização da Burburinho Cultural e Cia Gelmini de Videodança. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 5 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/Dança.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CARTAS A LUMIÈRE – A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 Curadoria: Alberto Saraiva Vencedor do prêmio de arte digital The Lumen Prize na categoria ''Prêmio do Público" e de Melhor Filme Experimental pela Associação Alemã de Críticos de Cinema, o artista multimídia e cineasta Fabiano Mixo, carioca residente em Berlim, apresenta sua mais recente obra. “CARTAS A LUMIÈRE - A chegada do trem à estação” é uma videoinstalação imersiva que confronta as origens do cinema com novas tecnologias e espaços urbanos e virtuais, mesclando artes visuais, cinema e interatividade. Traça um paralelo entre as primeiras reações do público do Grand Café de Paris, em 1895, e a excitação contemporânea diante da Realidade Virtual. Conta com uma projeção panorâmica e uma paisagem sonora imersiva, bem como um óculos de Realidade Virtual, com o qual o visitante poderá assistir um filme em 360º, híbrido entre ficção e documentário, que recria o filme pioneiro dos irmãos Lumière para os trens e plataformas da Central do Brasil. Mixo trabalha com linguagens híbridas e novas tecnologias para recontextualizar a História a partir de perspectivas multiculturais, e nessa obra investiga os novos ambientes virtuais a partir de um olhar sobre trens e trabalhadores – as primeiras personagens do Cinema.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 2 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/cartasalumiere.png <![CDATA[MINOTAUROS]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 Cyriaco Lopes e Terri Witek. Curadoria: Alberto Saraiva Artista visual, radicado em Nova York, Cyriaco Lopes participou de mostras em espaços importantes no Brasil, como MASP,  MAM do Rio e Salvador, Funarte, Hélio Oiticica;  nos Estados Unidos - Museus de Arte Contemporânea de Baltimore e Saint Louis, El Museo del Barrio, Anya and Andrew Shiva Gallery e Apexart em Nova York; e em instituições na França, Itália, Turquia, Armênia, Portugal e Islândia. O trabalho de Cyriaco Lopes foi incluído em curadorias de Lygia Pape, Janine Antoni, Luciano Fabro, Ryan Trecartin, Paulo Herkenhoff, Adriano Pedrosa e, este ano, pelo curador chefe de fotografia do Walker Art Center e a curadora chefe do California Museum of Photography. Poeta norte-americana, que já morou no Brasil, Terri Witek escreveu vários volumes de poesia: “Body Switch” (2016), “Exit Island” (Prêmio Florida Book Awards), “The Shipwreck Dress” (Prêmio Florida Book Awards), “Carnal World”, “Fools and Crows”, “Courting Couples” (Prêmio do Center for Book Arts), “First Shot at Fort Sumter/ Possum, on gavdos ferry” e “Robert Lowell and LIFE STUDIES: Revising the Self”. Sua obra foi incluída em várias antologias de poesia. Terry Witek, assim como Cyriaco Lopes, lecionam no Mestrado em Poesia do Campo Ampliado da Stetson University.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 4 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/poesiavisual.jpeg <![CDATA[O JARDIM DO ÉDEN E O SANGUE DA GÓRGONA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 CLAUDIA BAKKER EM SOBRE AS POTÊNCIAS DO ORGÂNICO 1995/2017 Curadoria: Alberto Saraiva Ensaio fotográfico realizado por Claudia Bakker com Wilton Montenegro, que ativa poéticas ligadas à vida e morte, à natureza, ao feminino e seu contexto imagético e simbólico. Esse trabalho faz parte de uma edição de livro-objeto com concepção de Artur Barrio e  Marcio Doctors. Artista plástica carioca, Claudia vem construindo sensíveis trabalhos, sejam em suas grandes instalações com material orgânico, como maçãs, sejam em outras séries que experimentam diferentes formas poéticas sobre o tempo e sua ação.  Sua obra encontra-se dentro de um contexto histórico ligado a afinidades poéticas no experimentalismo conceitual dos anos 70 e na relação entre arte, corpo e natureza na cena contemporânea desde meados dos anos 90. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/mockup1_bakker.jpg <![CDATA[DANÇA.MOV: CIDADE EM MOVIMENTO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 Direção: Gustavo Gelmini Direção de Movimento: Alex Neoral, Renato Cruz e Renato Vieira Interpretação e Criação de Movimento: Alex Neoral, Barbara Lima, Bruno Cezario, Carol Pires, Clarice Silva, Daniel Oliveira (Kirikou), Fabiana Nunes, Gabriela Leite, José Leandro, Marcio Jahú, Monica Burity, Renato Cruz, Soraya Bastos, Tiago Oliveira e Wellington Tutty A relação entre cinema e dança ganha contornos urbanos em uma cidade de diversos movimentos e olhares. Videodança é o resultado da interferência da tecnologia no fazer artístico da dança, uma obra audiovisual híbrida entre vídeo e coreografia. Serão exibidas dez videodanças criadas para locações específicas no Rio de Janeiro, gravadas a partir da seleção de pontos da cidade como: Centro, Arpoador, Praça XV, MAM, Pedra do Sal, Escadaria do Selarón, Pier Mauá, Lagoa, Vidigal e Floresta da Tijuca. O projeto é uma realização da Burburinho Cultural e Cia Gelmini de Videodança. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 5 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/Dança.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[CARI (OCA)]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13640 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13640 Dia 22 de abril, sábado, 15h | Térreo Público: Família (até 20 participantes)]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/07/COVER_FB_OI_FUTURO_maio16.png <![CDATA[9° Festival TomaRRock]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13645 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13645 http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/11169672_705915409519747_5404489903164002325_o.jpg <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CARTAS A LUMIÈRE – A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 Curadoria: Alberto Saraiva Vencedor do prêmio de arte digital The Lumen Prize na categoria ''Prêmio do Público" e de Melhor Filme Experimental pela Associação Alemã de Críticos de Cinema, o artista multimídia e cineasta Fabiano Mixo, carioca residente em Berlim, apresenta sua mais recente obra. “CARTAS A LUMIÈRE - A chegada do trem à estação” é uma videoinstalação imersiva que confronta as origens do cinema com novas tecnologias e espaços urbanos e virtuais, mesclando artes visuais, cinema e interatividade. Traça um paralelo entre as primeiras reações do público do Grand Café de Paris, em 1895, e a excitação contemporânea diante da Realidade Virtual. Conta com uma projeção panorâmica e uma paisagem sonora imersiva, bem como um óculos de Realidade Virtual, com o qual o visitante poderá assistir um filme em 360º, híbrido entre ficção e documentário, que recria o filme pioneiro dos irmãos Lumière para os trens e plataformas da Central do Brasil. Mixo trabalha com linguagens híbridas e novas tecnologias para recontextualizar a História a partir de perspectivas multiculturais, e nessa obra investiga os novos ambientes virtuais a partir de um olhar sobre trens e trabalhadores – as primeiras personagens do Cinema.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 2 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/cartasalumiere.png <![CDATA[MINOTAUROS]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 Cyriaco Lopes e Terri Witek. Curadoria: Alberto Saraiva Artista visual, radicado em Nova York, Cyriaco Lopes participou de mostras em espaços importantes no Brasil, como MASP,  MAM do Rio e Salvador, Funarte, Hélio Oiticica;  nos Estados Unidos - Museus de Arte Contemporânea de Baltimore e Saint Louis, El Museo del Barrio, Anya and Andrew Shiva Gallery e Apexart em Nova York; e em instituições na França, Itália, Turquia, Armênia, Portugal e Islândia. O trabalho de Cyriaco Lopes foi incluído em curadorias de Lygia Pape, Janine Antoni, Luciano Fabro, Ryan Trecartin, Paulo Herkenhoff, Adriano Pedrosa e, este ano, pelo curador chefe de fotografia do Walker Art Center e a curadora chefe do California Museum of Photography. Poeta norte-americana, que já morou no Brasil, Terri Witek escreveu vários volumes de poesia: “Body Switch” (2016), “Exit Island” (Prêmio Florida Book Awards), “The Shipwreck Dress” (Prêmio Florida Book Awards), “Carnal World”, “Fools and Crows”, “Courting Couples” (Prêmio do Center for Book Arts), “First Shot at Fort Sumter/ Possum, on gavdos ferry” e “Robert Lowell and LIFE STUDIES: Revising the Self”. Sua obra foi incluída em várias antologias de poesia. Terry Witek, assim como Cyriaco Lopes, lecionam no Mestrado em Poesia do Campo Ampliado da Stetson University.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 4 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/poesiavisual.jpeg <![CDATA[O JARDIM DO ÉDEN E O SANGUE DA GÓRGONA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 CLAUDIA BAKKER EM SOBRE AS POTÊNCIAS DO ORGÂNICO 1995/2017 Curadoria: Alberto Saraiva Ensaio fotográfico realizado por Claudia Bakker com Wilton Montenegro, que ativa poéticas ligadas à vida e morte, à natureza, ao feminino e seu contexto imagético e simbólico. Esse trabalho faz parte de uma edição de livro-objeto com concepção de Artur Barrio e  Marcio Doctors. Artista plástica carioca, Claudia vem construindo sensíveis trabalhos, sejam em suas grandes instalações com material orgânico, como maçãs, sejam em outras séries que experimentam diferentes formas poéticas sobre o tempo e sua ação.  Sua obra encontra-se dentro de um contexto histórico ligado a afinidades poéticas no experimentalismo conceitual dos anos 70 e na relação entre arte, corpo e natureza na cena contemporânea desde meados dos anos 90. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/mockup1_bakker.jpg <![CDATA[DANÇA.MOV: CIDADE EM MOVIMENTO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 Direção: Gustavo Gelmini Direção de Movimento: Alex Neoral, Renato Cruz e Renato Vieira Interpretação e Criação de Movimento: Alex Neoral, Barbara Lima, Bruno Cezario, Carol Pires, Clarice Silva, Daniel Oliveira (Kirikou), Fabiana Nunes, Gabriela Leite, José Leandro, Marcio Jahú, Monica Burity, Renato Cruz, Soraya Bastos, Tiago Oliveira e Wellington Tutty A relação entre cinema e dança ganha contornos urbanos em uma cidade de diversos movimentos e olhares. Videodança é o resultado da interferência da tecnologia no fazer artístico da dança, uma obra audiovisual híbrida entre vídeo e coreografia. Serão exibidas dez videodanças criadas para locações específicas no Rio de Janeiro, gravadas a partir da seleção de pontos da cidade como: Centro, Arpoador, Praça XV, MAM, Pedra do Sal, Escadaria do Selarón, Pier Mauá, Lagoa, Vidigal e Floresta da Tijuca. O projeto é uma realização da Burburinho Cultural e Cia Gelmini de Videodança. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 5 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/Dança.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[9° Festival TomaRRock]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13645 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13645 http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/11169672_705915409519747_5404489903164002325_o.jpg <![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CARTAS A LUMIÈRE – A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 Curadoria: Alberto Saraiva Vencedor do prêmio de arte digital The Lumen Prize na categoria ''Prêmio do Público" e de Melhor Filme Experimental pela Associação Alemã de Críticos de Cinema, o artista multimídia e cineasta Fabiano Mixo, carioca residente em Berlim, apresenta sua mais recente obra. “CARTAS A LUMIÈRE - A chegada do trem à estação” é uma videoinstalação imersiva que confronta as origens do cinema com novas tecnologias e espaços urbanos e virtuais, mesclando artes visuais, cinema e interatividade. Traça um paralelo entre as primeiras reações do público do Grand Café de Paris, em 1895, e a excitação contemporânea diante da Realidade Virtual. Conta com uma projeção panorâmica e uma paisagem sonora imersiva, bem como um óculos de Realidade Virtual, com o qual o visitante poderá assistir um filme em 360º, híbrido entre ficção e documentário, que recria o filme pioneiro dos irmãos Lumière para os trens e plataformas da Central do Brasil. Mixo trabalha com linguagens híbridas e novas tecnologias para recontextualizar a História a partir de perspectivas multiculturais, e nessa obra investiga os novos ambientes virtuais a partir de um olhar sobre trens e trabalhadores – as primeiras personagens do Cinema.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 2 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/cartasalumiere.png <![CDATA[MINOTAUROS]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 Cyriaco Lopes e Terri Witek. Curadoria: Alberto Saraiva Artista visual, radicado em Nova York, Cyriaco Lopes participou de mostras em espaços importantes no Brasil, como MASP,  MAM do Rio e Salvador, Funarte, Hélio Oiticica;  nos Estados Unidos - Museus de Arte Contemporânea de Baltimore e Saint Louis, El Museo del Barrio, Anya and Andrew Shiva Gallery e Apexart em Nova York; e em instituições na França, Itália, Turquia, Armênia, Portugal e Islândia. O trabalho de Cyriaco Lopes foi incluído em curadorias de Lygia Pape, Janine Antoni, Luciano Fabro, Ryan Trecartin, Paulo Herkenhoff, Adriano Pedrosa e, este ano, pelo curador chefe de fotografia do Walker Art Center e a curadora chefe do California Museum of Photography. Poeta norte-americana, que já morou no Brasil, Terri Witek escreveu vários volumes de poesia: “Body Switch” (2016), “Exit Island” (Prêmio Florida Book Awards), “The Shipwreck Dress” (Prêmio Florida Book Awards), “Carnal World”, “Fools and Crows”, “Courting Couples” (Prêmio do Center for Book Arts), “First Shot at Fort Sumter/ Possum, on gavdos ferry” e “Robert Lowell and LIFE STUDIES: Revising the Self”. Sua obra foi incluída em várias antologias de poesia. Terry Witek, assim como Cyriaco Lopes, lecionam no Mestrado em Poesia do Campo Ampliado da Stetson University.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 4 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/poesiavisual.jpeg <![CDATA[O JARDIM DO ÉDEN E O SANGUE DA GÓRGONA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 CLAUDIA BAKKER EM SOBRE AS POTÊNCIAS DO ORGÂNICO 1995/2017 Curadoria: Alberto Saraiva Ensaio fotográfico realizado por Claudia Bakker com Wilton Montenegro, que ativa poéticas ligadas à vida e morte, à natureza, ao feminino e seu contexto imagético e simbólico. Esse trabalho faz parte de uma edição de livro-objeto com concepção de Artur Barrio e  Marcio Doctors. Artista plástica carioca, Claudia vem construindo sensíveis trabalhos, sejam em suas grandes instalações com material orgânico, como maçãs, sejam em outras séries que experimentam diferentes formas poéticas sobre o tempo e sua ação.  Sua obra encontra-se dentro de um contexto histórico ligado a afinidades poéticas no experimentalismo conceitual dos anos 70 e na relação entre arte, corpo e natureza na cena contemporânea desde meados dos anos 90. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/mockup1_bakker.jpg <![CDATA[DANÇA.MOV: CIDADE EM MOVIMENTO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 Direção: Gustavo Gelmini Direção de Movimento: Alex Neoral, Renato Cruz e Renato Vieira Interpretação e Criação de Movimento: Alex Neoral, Barbara Lima, Bruno Cezario, Carol Pires, Clarice Silva, Daniel Oliveira (Kirikou), Fabiana Nunes, Gabriela Leite, José Leandro, Marcio Jahú, Monica Burity, Renato Cruz, Soraya Bastos, Tiago Oliveira e Wellington Tutty A relação entre cinema e dança ganha contornos urbanos em uma cidade de diversos movimentos e olhares. Videodança é o resultado da interferência da tecnologia no fazer artístico da dança, uma obra audiovisual híbrida entre vídeo e coreografia. Serão exibidas dez videodanças criadas para locações específicas no Rio de Janeiro, gravadas a partir da seleção de pontos da cidade como: Centro, Arpoador, Praça XV, MAM, Pedra do Sal, Escadaria do Selarón, Pier Mauá, Lagoa, Vidigal e Floresta da Tijuca. O projeto é uma realização da Burburinho Cultural e Cia Gelmini de Videodança. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 5 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/Dança.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[9° Festival TomaRRock]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13645 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13645 http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/11169672_705915409519747_5404489903164002325_o.jpg <![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CARTAS A LUMIÈRE – A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 Curadoria: Alberto Saraiva Vencedor do prêmio de arte digital The Lumen Prize na categoria ''Prêmio do Público" e de Melhor Filme Experimental pela Associação Alemã de Críticos de Cinema, o artista multimídia e cineasta Fabiano Mixo, carioca residente em Berlim, apresenta sua mais recente obra. “CARTAS A LUMIÈRE - A chegada do trem à estação” é uma videoinstalação imersiva que confronta as origens do cinema com novas tecnologias e espaços urbanos e virtuais, mesclando artes visuais, cinema e interatividade. Traça um paralelo entre as primeiras reações do público do Grand Café de Paris, em 1895, e a excitação contemporânea diante da Realidade Virtual. Conta com uma projeção panorâmica e uma paisagem sonora imersiva, bem como um óculos de Realidade Virtual, com o qual o visitante poderá assistir um filme em 360º, híbrido entre ficção e documentário, que recria o filme pioneiro dos irmãos Lumière para os trens e plataformas da Central do Brasil. Mixo trabalha com linguagens híbridas e novas tecnologias para recontextualizar a História a partir de perspectivas multiculturais, e nessa obra investiga os novos ambientes virtuais a partir de um olhar sobre trens e trabalhadores – as primeiras personagens do Cinema.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 2 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/cartasalumiere.png <![CDATA[MINOTAUROS]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 Cyriaco Lopes e Terri Witek. Curadoria: Alberto Saraiva Artista visual, radicado em Nova York, Cyriaco Lopes participou de mostras em espaços importantes no Brasil, como MASP,  MAM do Rio e Salvador, Funarte, Hélio Oiticica;  nos Estados Unidos - Museus de Arte Contemporânea de Baltimore e Saint Louis, El Museo del Barrio, Anya and Andrew Shiva Gallery e Apexart em Nova York; e em instituições na França, Itália, Turquia, Armênia, Portugal e Islândia. O trabalho de Cyriaco Lopes foi incluído em curadorias de Lygia Pape, Janine Antoni, Luciano Fabro, Ryan Trecartin, Paulo Herkenhoff, Adriano Pedrosa e, este ano, pelo curador chefe de fotografia do Walker Art Center e a curadora chefe do California Museum of Photography. Poeta norte-americana, que já morou no Brasil, Terri Witek escreveu vários volumes de poesia: “Body Switch” (2016), “Exit Island” (Prêmio Florida Book Awards), “The Shipwreck Dress” (Prêmio Florida Book Awards), “Carnal World”, “Fools and Crows”, “Courting Couples” (Prêmio do Center for Book Arts), “First Shot at Fort Sumter/ Possum, on gavdos ferry” e “Robert Lowell and LIFE STUDIES: Revising the Self”. Sua obra foi incluída em várias antologias de poesia. Terry Witek, assim como Cyriaco Lopes, lecionam no Mestrado em Poesia do Campo Ampliado da Stetson University.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 4 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/poesiavisual.jpeg <![CDATA[O JARDIM DO ÉDEN E O SANGUE DA GÓRGONA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 CLAUDIA BAKKER EM SOBRE AS POTÊNCIAS DO ORGÂNICO 1995/2017 Curadoria: Alberto Saraiva Ensaio fotográfico realizado por Claudia Bakker com Wilton Montenegro, que ativa poéticas ligadas à vida e morte, à natureza, ao feminino e seu contexto imagético e simbólico. Esse trabalho faz parte de uma edição de livro-objeto com concepção de Artur Barrio e  Marcio Doctors. Artista plástica carioca, Claudia vem construindo sensíveis trabalhos, sejam em suas grandes instalações com material orgânico, como maçãs, sejam em outras séries que experimentam diferentes formas poéticas sobre o tempo e sua ação.  Sua obra encontra-se dentro de um contexto histórico ligado a afinidades poéticas no experimentalismo conceitual dos anos 70 e na relação entre arte, corpo e natureza na cena contemporânea desde meados dos anos 90. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/mockup1_bakker.jpg <![CDATA[DANÇA.MOV: CIDADE EM MOVIMENTO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 Direção: Gustavo Gelmini Direção de Movimento: Alex Neoral, Renato Cruz e Renato Vieira Interpretação e Criação de Movimento: Alex Neoral, Barbara Lima, Bruno Cezario, Carol Pires, Clarice Silva, Daniel Oliveira (Kirikou), Fabiana Nunes, Gabriela Leite, José Leandro, Marcio Jahú, Monica Burity, Renato Cruz, Soraya Bastos, Tiago Oliveira e Wellington Tutty A relação entre cinema e dança ganha contornos urbanos em uma cidade de diversos movimentos e olhares. Videodança é o resultado da interferência da tecnologia no fazer artístico da dança, uma obra audiovisual híbrida entre vídeo e coreografia. Serão exibidas dez videodanças criadas para locações específicas no Rio de Janeiro, gravadas a partir da seleção de pontos da cidade como: Centro, Arpoador, Praça XV, MAM, Pedra do Sal, Escadaria do Selarón, Pier Mauá, Lagoa, Vidigal e Floresta da Tijuca. O projeto é uma realização da Burburinho Cultural e Cia Gelmini de Videodança. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 5 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/Dança.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CARTAS A LUMIÈRE – A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 Curadoria: Alberto Saraiva Vencedor do prêmio de arte digital The Lumen Prize na categoria ''Prêmio do Público" e de Melhor Filme Experimental pela Associação Alemã de Críticos de Cinema, o artista multimídia e cineasta Fabiano Mixo, carioca residente em Berlim, apresenta sua mais recente obra. “CARTAS A LUMIÈRE - A chegada do trem à estação” é uma videoinstalação imersiva que confronta as origens do cinema com novas tecnologias e espaços urbanos e virtuais, mesclando artes visuais, cinema e interatividade. Traça um paralelo entre as primeiras reações do público do Grand Café de Paris, em 1895, e a excitação contemporânea diante da Realidade Virtual. Conta com uma projeção panorâmica e uma paisagem sonora imersiva, bem como um óculos de Realidade Virtual, com o qual o visitante poderá assistir um filme em 360º, híbrido entre ficção e documentário, que recria o filme pioneiro dos irmãos Lumière para os trens e plataformas da Central do Brasil. Mixo trabalha com linguagens híbridas e novas tecnologias para recontextualizar a História a partir de perspectivas multiculturais, e nessa obra investiga os novos ambientes virtuais a partir de um olhar sobre trens e trabalhadores – as primeiras personagens do Cinema.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 2 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/cartasalumiere.png <![CDATA[MINOTAUROS]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 Cyriaco Lopes e Terri Witek. Curadoria: Alberto Saraiva Artista visual, radicado em Nova York, Cyriaco Lopes participou de mostras em espaços importantes no Brasil, como MASP,  MAM do Rio e Salvador, Funarte, Hélio Oiticica;  nos Estados Unidos - Museus de Arte Contemporânea de Baltimore e Saint Louis, El Museo del Barrio, Anya and Andrew Shiva Gallery e Apexart em Nova York; e em instituições na França, Itália, Turquia, Armênia, Portugal e Islândia. O trabalho de Cyriaco Lopes foi incluído em curadorias de Lygia Pape, Janine Antoni, Luciano Fabro, Ryan Trecartin, Paulo Herkenhoff, Adriano Pedrosa e, este ano, pelo curador chefe de fotografia do Walker Art Center e a curadora chefe do California Museum of Photography. Poeta norte-americana, que já morou no Brasil, Terri Witek escreveu vários volumes de poesia: “Body Switch” (2016), “Exit Island” (Prêmio Florida Book Awards), “The Shipwreck Dress” (Prêmio Florida Book Awards), “Carnal World”, “Fools and Crows”, “Courting Couples” (Prêmio do Center for Book Arts), “First Shot at Fort Sumter/ Possum, on gavdos ferry” e “Robert Lowell and LIFE STUDIES: Revising the Self”. Sua obra foi incluída em várias antologias de poesia. Terry Witek, assim como Cyriaco Lopes, lecionam no Mestrado em Poesia do Campo Ampliado da Stetson University.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 4 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/poesiavisual.jpeg <![CDATA[O JARDIM DO ÉDEN E O SANGUE DA GÓRGONA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 CLAUDIA BAKKER EM SOBRE AS POTÊNCIAS DO ORGÂNICO 1995/2017 Curadoria: Alberto Saraiva Ensaio fotográfico realizado por Claudia Bakker com Wilton Montenegro, que ativa poéticas ligadas à vida e morte, à natureza, ao feminino e seu contexto imagético e simbólico. Esse trabalho faz parte de uma edição de livro-objeto com concepção de Artur Barrio e  Marcio Doctors. Artista plástica carioca, Claudia vem construindo sensíveis trabalhos, sejam em suas grandes instalações com material orgânico, como maçãs, sejam em outras séries que experimentam diferentes formas poéticas sobre o tempo e sua ação.  Sua obra encontra-se dentro de um contexto histórico ligado a afinidades poéticas no experimentalismo conceitual dos anos 70 e na relação entre arte, corpo e natureza na cena contemporânea desde meados dos anos 90. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/mockup1_bakker.jpg <![CDATA[DANÇA.MOV: CIDADE EM MOVIMENTO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 Direção: Gustavo Gelmini Direção de Movimento: Alex Neoral, Renato Cruz e Renato Vieira Interpretação e Criação de Movimento: Alex Neoral, Barbara Lima, Bruno Cezario, Carol Pires, Clarice Silva, Daniel Oliveira (Kirikou), Fabiana Nunes, Gabriela Leite, José Leandro, Marcio Jahú, Monica Burity, Renato Cruz, Soraya Bastos, Tiago Oliveira e Wellington Tutty A relação entre cinema e dança ganha contornos urbanos em uma cidade de diversos movimentos e olhares. Videodança é o resultado da interferência da tecnologia no fazer artístico da dança, uma obra audiovisual híbrida entre vídeo e coreografia. Serão exibidas dez videodanças criadas para locações específicas no Rio de Janeiro, gravadas a partir da seleção de pontos da cidade como: Centro, Arpoador, Praça XV, MAM, Pedra do Sal, Escadaria do Selarón, Pier Mauá, Lagoa, Vidigal e Floresta da Tijuca. O projeto é uma realização da Burburinho Cultural e Cia Gelmini de Videodança. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 5 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/Dança.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CARTAS A LUMIÈRE – A CHEGADA DO TREM À ESTAÇÃO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13630 Curadoria: Alberto Saraiva Vencedor do prêmio de arte digital The Lumen Prize na categoria ''Prêmio do Público" e de Melhor Filme Experimental pela Associação Alemã de Críticos de Cinema, o artista multimídia e cineasta Fabiano Mixo, carioca residente em Berlim, apresenta sua mais recente obra. “CARTAS A LUMIÈRE - A chegada do trem à estação” é uma videoinstalação imersiva que confronta as origens do cinema com novas tecnologias e espaços urbanos e virtuais, mesclando artes visuais, cinema e interatividade. Traça um paralelo entre as primeiras reações do público do Grand Café de Paris, em 1895, e a excitação contemporânea diante da Realidade Virtual. Conta com uma projeção panorâmica e uma paisagem sonora imersiva, bem como um óculos de Realidade Virtual, com o qual o visitante poderá assistir um filme em 360º, híbrido entre ficção e documentário, que recria o filme pioneiro dos irmãos Lumière para os trens e plataformas da Central do Brasil. Mixo trabalha com linguagens híbridas e novas tecnologias para recontextualizar a História a partir de perspectivas multiculturais, e nessa obra investiga os novos ambientes virtuais a partir de um olhar sobre trens e trabalhadores – as primeiras personagens do Cinema.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 2 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/cartasalumiere.png <![CDATA[MINOTAUROS]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13631 Cyriaco Lopes e Terri Witek. Curadoria: Alberto Saraiva Artista visual, radicado em Nova York, Cyriaco Lopes participou de mostras em espaços importantes no Brasil, como MASP,  MAM do Rio e Salvador, Funarte, Hélio Oiticica;  nos Estados Unidos - Museus de Arte Contemporânea de Baltimore e Saint Louis, El Museo del Barrio, Anya and Andrew Shiva Gallery e Apexart em Nova York; e em instituições na França, Itália, Turquia, Armênia, Portugal e Islândia. O trabalho de Cyriaco Lopes foi incluído em curadorias de Lygia Pape, Janine Antoni, Luciano Fabro, Ryan Trecartin, Paulo Herkenhoff, Adriano Pedrosa e, este ano, pelo curador chefe de fotografia do Walker Art Center e a curadora chefe do California Museum of Photography. Poeta norte-americana, que já morou no Brasil, Terri Witek escreveu vários volumes de poesia: “Body Switch” (2016), “Exit Island” (Prêmio Florida Book Awards), “The Shipwreck Dress” (Prêmio Florida Book Awards), “Carnal World”, “Fools and Crows”, “Courting Couples” (Prêmio do Center for Book Arts), “First Shot at Fort Sumter/ Possum, on gavdos ferry” e “Robert Lowell and LIFE STUDIES: Revising the Self”. Sua obra foi incluída em várias antologias de poesia. Terry Witek, assim como Cyriaco Lopes, lecionam no Mestrado em Poesia do Campo Ampliado da Stetson University.   De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 4 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/poesiavisual.jpeg <![CDATA[O JARDIM DO ÉDEN E O SANGUE DA GÓRGONA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13634 CLAUDIA BAKKER EM SOBRE AS POTÊNCIAS DO ORGÂNICO 1995/2017 Curadoria: Alberto Saraiva Ensaio fotográfico realizado por Claudia Bakker com Wilton Montenegro, que ativa poéticas ligadas à vida e morte, à natureza, ao feminino e seu contexto imagético e simbólico. Esse trabalho faz parte de uma edição de livro-objeto com concepção de Artur Barrio e  Marcio Doctors. Artista plástica carioca, Claudia vem construindo sensíveis trabalhos, sejam em suas grandes instalações com material orgânico, como maçãs, sejam em outras séries que experimentam diferentes formas poéticas sobre o tempo e sua ação.  Sua obra encontra-se dentro de um contexto histórico ligado a afinidades poéticas no experimentalismo conceitual dos anos 70 e na relação entre arte, corpo e natureza na cena contemporânea desde meados dos anos 90. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/mockup1_bakker.jpg <![CDATA[DANÇA.MOV: CIDADE EM MOVIMENTO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13635 Direção: Gustavo Gelmini Direção de Movimento: Alex Neoral, Renato Cruz e Renato Vieira Interpretação e Criação de Movimento: Alex Neoral, Barbara Lima, Bruno Cezario, Carol Pires, Clarice Silva, Daniel Oliveira (Kirikou), Fabiana Nunes, Gabriela Leite, José Leandro, Marcio Jahú, Monica Burity, Renato Cruz, Soraya Bastos, Tiago Oliveira e Wellington Tutty A relação entre cinema e dança ganha contornos urbanos em uma cidade de diversos movimentos e olhares. Videodança é o resultado da interferência da tecnologia no fazer artístico da dança, uma obra audiovisual híbrida entre vídeo e coreografia. Serão exibidas dez videodanças criadas para locações específicas no Rio de Janeiro, gravadas a partir da seleção de pontos da cidade como: Centro, Arpoador, Praça XV, MAM, Pedra do Sal, Escadaria do Selarón, Pier Mauá, Lagoa, Vidigal e Floresta da Tijuca. O projeto é uma realização da Burburinho Cultural e Cia Gelmini de Videodança. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Nível 5 Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/Dança.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[A ARTE DE DESDESENHAR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13639 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13639 Dia 15 de abril, sábado, 15h | Nível 6 Público: Família (até 20 participantes)  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/07/COVER_FB_OI_FUTURO_maio16.png <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[HIPERLINK - Deixe seu EMOJI para o futuro]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13638 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13638 ATIVIDADE COMEMORATIVA AOS 10 ANOS DO MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES Os emojis são muito populares nas redes sociais e em comunicações de troca de mensagens, como o WhatsApp.  Em comemoração ao Dia das Telecomunicações, esta atividade prevê  a construção de uma conversa coletiva entre os participantes, a partir do uso de emojis. Ao final, cada participante deixará sua mensagem. Qual o seu emoji para o futuro? Dia 8 de abril, sábado, 15h | Térreo Público: Família (até 20 participantes)  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/07/COVER_FB_OI_FUTURO_maio16.png <![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[COFI BREIQUE III]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13643 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13643 Dia 5 de abril, quarta-feira, 18h 30h | Térreo]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/03/pexels-photo-228183-1.jpeg <![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[SARAU CULTURAL NO INTERIOR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13531 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13531 Sarau Música de Raiz – Vera Couto (02/Março) Sarau Literatura de Raiz – Lila Sardinha (08/Março) Sarau Música Erudita – Sammile (15/03) Sarau Literatura Nacional E Internacional – Elia Manoel (22/Março)]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/07/COVER_FB_OI_FUTURO_maio16.png <![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[SARAU CULTURAL NO INTERIOR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13531 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13531 Sarau Música de Raiz – Vera Couto (02/Março) Sarau Literatura de Raiz – Lila Sardinha (08/Março) Sarau Música Erudita – Sammile (15/03) Sarau Literatura Nacional E Internacional – Elia Manoel (22/Março)]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/07/COVER_FB_OI_FUTURO_maio16.png <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[FLORIANO ROMANO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13633 Curadoria: Alberto Saraiva Artista premiado, pioneiro em obras que mesclam instalações, performance e rádio em espaços urbanos, criou o programa de rádio “O Inusitado”, condensando um excelente imaginário sobre o som, tanto nas artes plásticas como na música e na poesia. Em 2016, apresentou duas individuais: “Errância”, no Centro Cultural Banco do Brasil, onde microfonou o corpo de varios acionistas para realizar gravações de campo na noite da cidade do Rio de Janeiro, e “Muro de Som”, uma casa sonora com objetos criados para o Parque das Ruinas. Participou da Residencia HOBRA- Holanda Brasil, no Rio. Agora, desenvolve um trabalho especialmente para o Projeto Tech_Nô: alto falantes com o som do mar transformam a vitrine  em uma parede sonora. Uma inserção na arquitetura. Onde antes havia uma vitrine, existe agora, além dela, uma sensação. O ruído da obra preenche o espaço à sua volta e modifica a forma de sua percepção. De 17 de abril a 18 de junho Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/02/OiFuturo_recesso-carnaval_.png <![CDATA[SUPER VIOLÃO MASHUP]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13499 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13499 Concepção e curadoria: Julianna Sá O projeto pretende discutir a relação entre música e tecnologia, entendendo-a como base essencial para a criação artística contemporânea e desenvolvimento de novas estéticas. Com título baseado em música homônima de Lucas Santtana, “Super Violão Mashup”reunirá seis artistas contemporâneos e outros seis produtores para propor que, em dupla, eles desfaçam e reconstruam arranjos a partir do violão e de processamentos múltiplos do instrumento. A ideia é desnudar o trabalho de nomes como Gui Amabis, Iara Rennó, Lucas Santtana, entre outros, de volta para o violão. A partir disso, os produtores convidados - Livia Nery, Bad$ista entre outros - vão reinventar seus arranjos ao vivo com equipamentos eletrônicos, onde eles possam filtrar o som do violão e processá-lo para que uma nova canção surja diante do público: inventiva e inédita. Além das apresentações, haverá também um debate. 17 de março - Lucas Santtana + Kassin 18 de março - Iara Rennó + Cibelle 24 de março - Qinho + BadSista 25 de março - Arthur Nogueira + Jonas Sá 31 de março - Gui Amabis + Marcelo Cabral 1o de abril - Luisão Pereira + Livia Nery Dias 17, 18, 24, 25, 31 de março e 1º de abril, sexta e sábado, 21h | Teatro Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 14 anos *A venda começa na terça-feira da semana anterior a cada show]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Screen-Shot-2017-02-21-at-12.21.02-PM.png <![CDATA[SARAU CULTURAL NO INTERIOR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13531 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13531 Sarau Música de Raiz – Vera Couto (02/Março) Sarau Literatura de Raiz – Lila Sardinha (08/Março) Sarau Música Erudita – Sammile (15/03) Sarau Literatura Nacional E Internacional – Elia Manoel (22/Março)]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/07/COVER_FB_OI_FUTURO_maio16.png <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg
<![CDATA[QUEM OUVE UM CONTO AUMENTA UM PONTO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13637 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13637 Dia 1º de abril, sábado, 15h | Nível 6 Público: Família (até 20 participantes)]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/07/COVER_FB_OI_FUTURO_maio16.png <![CDATA[SUPER VIOLÃO MASHUP]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13499 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13499 Concepção e curadoria: Julianna Sá O projeto pretende discutir a relação entre música e tecnologia, entendendo-a como base essencial para a criação artística contemporânea e desenvolvimento de novas estéticas. Com título baseado em música homônima de Lucas Santtana, “Super Violão Mashup”reunirá seis artistas contemporâneos e outros seis produtores para propor que, em dupla, eles desfaçam e reconstruam arranjos a partir do violão e de processamentos múltiplos do instrumento. A ideia é desnudar o trabalho de nomes como Gui Amabis, Iara Rennó, Lucas Santtana, entre outros, de volta para o violão. A partir disso, os produtores convidados - Livia Nery, Bad$ista entre outros - vão reinventar seus arranjos ao vivo com equipamentos eletrônicos, onde eles possam filtrar o som do violão e processá-lo para que uma nova canção surja diante do público: inventiva e inédita. Além das apresentações, haverá também um debate. 17 de março - Lucas Santtana + Kassin 18 de março - Iara Rennó + Cibelle 24 de março - Qinho + BadSista 25 de março - Arthur Nogueira + Jonas Sá 31 de março - Gui Amabis + Marcelo Cabral 1o de abril - Luisão Pereira + Livia Nery Dias 17, 18, 24, 25, 31 de março e 1º de abril, sexta e sábado, 21h | Teatro Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 14 anos *A venda começa na terça-feira da semana anterior a cada show]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Screen-Shot-2017-02-21-at-12.21.02-PM.png <![CDATA[TRA-LÁ-LÁ]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13132 Texto: Vanessa Dantas Direção: Ana Paula Abreu Direção Musical e Arranjos: Marcelo Rezende Idealização: Anna Bello Elenco: Anna Bello, Daniel Haidar, Isabela Rescala, Leandro Castilho, Leonardo Miranda, Matias Zibecchi O musical apresenta a obra de Lamartine Babo, imortalizado pelas marchinhas de carnaval e, também, autor de inúmeros sambas-canção e dos hinos de futebol dos clubes do Rio de Janeiro.  Lalá, como era conhecido, foi um dos artistas mais bem humorados e divertidos de sua época, não perdendo nunca a chance de um trocadilho ou de uma piada. A concepção artística do espetáculo pretende transpor para cena toda essa irreverência característica de Lamartine e inclui 26 canções ao vivo, misturando também teatro e teatro de bonecos. EXCEPCIONALMENTE NESTE SÁBADO, TEREMOS SESSÃO EXTRA DOMINGO, 26, ÀS 14H. De 14 de janeiro a 26 de março, sábado e domingo, 16h | Teatro Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: livre A venda começa na terça-feira da semana das apresentações. *Não será permitida a entrada após o início do espetáculo *Dias 25 e 26 de fevereiro não haverá espetáculo.]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/IMG_7967.jpg <![CDATA[SARAU CULTURAL NO INTERIOR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13531 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13531 Sarau Música de Raiz – Vera Couto (02/Março) Sarau Literatura de Raiz – Lila Sardinha (08/Março) Sarau Música Erudita – Sammile (15/03) Sarau Literatura Nacional E Internacional – Elia Manoel (22/Março)]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/07/COVER_FB_OI_FUTURO_maio16.png <![CDATA[ROBERT CAPA – CAPA EM CORES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13295 Curadoria: Cynthia Young Ícone do fotojornalismo mundial, o húngaro Robert Capa deixou um acervo de memoráveis imagens em preto e branco. Fotos que realizou de frente para o perigo, em coberturas de momentos dramáticos da História, como o desembarque aliado na Normandia, em junho de 1944. O que muitos desconhecem é que ele legou um acervo de grandes imagens em cores. Uma parte desse material já foi mostrada no International Center of Photography de Nova York (EUA) e agora chega ao Oi Futuro Flamengo, ocupando todos os espaços expositivos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Térreo e Níveis 2, 4 e 5 Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/robert-capa-e1485186591159.png
<![CDATA[CESAR OITICICA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13297 Curadoria: Alberto Saraiva Bacharel em Comunicação Social, realizou a primeira exposição individual, em 1996, no Teatro Amazonas (Manaus). Trabalha com cinema e arte contemporânea. Em 2005, foi apontado pela revista francesa “Photo” como uma das revelações da nova geração de fotógrafos brasileiros, com o trabalho “Mulheres luz”. Há 17 anos é curador do Projeto Hélio Oiticica. Cesar criou uma obra especialmente para o Grande Campo. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Grande Campo Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/cesar-oiticica.jpg
<![CDATA[ELVIS ALMEIDA – O COTIDIANO DAS ESTRUTURAS FAMILIARES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13299 Curadoria: Alberto Saraiva O artista ganhou matéria de destaque na Revista O Globo (4 páginas), edição do último dia 8 de janeiro, e está sendo apontado como nova promessa da arte contemporânea. Elvis Almeida vem se interessando cada vez mais pela sabedoria doméstica, “aquele saber ensinado ao pé do ouvido, particularmente no balcão da lojinha, discutido na mesa de bar e eternizado em tutoriais no youtube”. O artista desenvolve para o Projeto Tech_Nô uma composição construída com materiais de papelaria. O trabalho traz como referência e inspiração obras gráficas que povoam abundantemente nossa cidade, como cartazes de shows e  impressos distribuídos pela via urbana. Segundo ele, “um exercício  que procure flertar com as colagens feitas por Henri Matisse, os ukiyo-ê do período Edo e o delirante espaço urbano”. Graduado em Gravura na Escola de Belas Artes da UFRJ,  já realizou inúmeras individuais no Rio, São Paulo, Pará e nos Estados Unidos. De 6 de fevereiro a 9 de abril Terça a domingo, das 11h às 20h | Projeto Tech_Nô Entrada franca | Classificação etária: livre

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Elvis-Almeida-IMG_6414_crop-foto-Rafael-Adorjßn.jpg
<![CDATA[MARIA LYNCH - MÁQUINA DEVIR]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13122 “A ideia central desse trabalho é que você passe por uma desconstrução, você não será tocado, a não ser que você queira. Você só vai fazer o que você quiser, mas vale a pena aproveitar tudo que for sugerido”. Essas são algumas das frases distribuídas nas paredes, que o visitante encontrará, antes de percorrer as galerias do Oi Futuro Ipanema. Maria Lynch, uma das artistas mais criativas da atualidade, com obras no Brasil e no exterior, promete surpresas nesta exposição interativa: em cada sala, só poderão entrar dois espectadores ao mesmo tempo; eles não devem se conhecer e o tempo limite de permanência é 3 minutos. Aproveite!   Até 19 de março Terça a domingo, 13h às 21h

O último atendimento da monitoria será às 20h20.

Galeria 1 (primeiro andar), Galeria 2 (3º andar) e Vitrine Entrada franca | Classificação etária: 18 anos
]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/MariaLynch.jpg
<![CDATA[MUSEU DAS TELECOMUNICAÇÕES]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13137 De terça a domingo, das 11h às 17h Entrada franca Classificação etária: livre

VISITAS MEDIADAS PARA GRUPOS

Exploram o acervo de forma participativa, compartilhando o fascínio que a comunicação e a tecnologia exercem sobre cada um de nós. Terça a sexta, entre 10h e 15h, sábado, 11h Agendamento prévio pelo email programaeducativo.oifuturo@gmail.com

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

 ]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2016/12/Museu1.jpg
<![CDATA[TOM NA FAZENDA]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13503 Texto: Michel Marc Bouchard Tradução: Armando Babaioff Direção: Rodrigo Portella Elenco: Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary, Gustavo Vaz A peça do premiado autor canadense Michel Marc Bouchard montada pela primeira vez no Brasil, traz uma discussão pertinente nos dias de hoje, principalmente em nosso país, onde jovens gays são frequentemente vítimas de agressões. Após a morte do namorado, Tom viaja até a fazenda para o funeral, onde moram a sogra e o cunhado. Tom é um perfeito estranho para todos, ninguém sabe quem ele é, na verdade, tampouco sabiam da orientação sexual do recém falecido. Nesse ambiente rural austero, Tom não consegue dizer a verdade e vai se enredando numa farsa. “Tom na Fazenda” (“Tom à la Ferme”, no original) inspirou o filme cult homônimo, dirigido por Xavier Dolan. Crédito: Cláudio Marmorosch De 24 de março a 14 de maio Quinta a domingo, 20h | Nível 7 Entrada: R$ 30,00 | Classificação etária: 18 anos ATENÇÃO: As sessões de 20,21,22 e 23 de abril estão esgotadas. Os ingressos para as sessões da próxima semana começam a ser vendidos no dia 25/04.  ]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/Tom-Na-Fazenda.jpg <![CDATA[CASA CARAMUJO]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=13508 Texto: Gustavo Paso (inspirado em uma narrativa da tradição oral escocesa do século XI) Direção: Gustavo Paso Realização: Cia Teatro Epigenía Elenco: Raquel Botafogo, Marcio Nascimento, Viviane Rayes, Antonio Barboza e Felipe Miguel Um menino enfrenta a morte ao perceber que ela levará sua mãe adoentada e consegue aprisioná-la dentro de uma casa de caramujo que havia sido deixada para o dono se banhar. Ao voltar pra casa, encontra sua mãe com uma saúde de ferro. Mas, aos poucos, ele e todos os moradores do lugar começam a se deparar com um fato: ninguém consegue mais colher frutos, legumes e verduras, pescar... Com a morte presa, não é possível se alimentar, quebrando assim o ciclo da vida. Sem morte não existe vida. O menino então precisa mergulhar no fundo do mundo das águas e, com ajuda do caramujo, resgatar a sua casa e a dona morte. Em agradecimento ao ato de coragem do menino, a morte informa que deixará a mãe ficar com ele por alguns bons anos. A mesma narrativa inspirou o livro “No Oco da Avelã”, sucesso em diversos países. De 11 de março a 28 de maio Sábado e domingo, 16h | Nível 7 Entrada: R$ 20,00 | Classificação etária: 8 anos]]> http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2017/02/caramujo_4-e1488568477967.jpg <![CDATA[CAFÉ BARONI]]> http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 http://www.oifuturo.org.br/?post_type=event&p=9392 Terça a domingo, das 11h às 20h.

Devido a problemas técnicos, o elevador está  operando com capacidade reduzida. A prioridade é para terceira idade e pessoas com deficiência.

Desculpe-nos o transtorno.

]]>
http://www.oifuturo.org.br/wp-content/uploads/2015/05/DSC_0005.jpg