FUTURO

1

CENTRO CULTURAL DO OI FUTURO EM BH ENCERRA TEMPORADA DE 2014

18 de dezembro de 2014

·         Teatro Oi Futuro Klauss Vianna retoma atividades em janeiro de 2015. Museu das Telecomunicações e galerias de arte voltam a funcionar em 2016
 
·         Complexo cultural do Oi Futuro será transferido para o Circuito Cultural da Praça da Liberdade
 

Belo Horizonte, 02 de dezembro de 2014 - Encerram-se no próximo dia 14 de dezembro, as atividades de 2014 do Centro Cultural do Oi Futuro em Belo Horizonte. Com a transferência do prédio da Avenida Afonso Pena 4001 para o Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, o Museu das Telecomunicações, a Galeria de Artes Visuais e a Galeria de Artes Gráficas e Fotojornalismo só retomarão as suas atividades no novo espaço que o Oi Futuro ocupará, a partir de 2016, no Circuito Cultural da Praça da Liberdade. O Teatro Oi Futuro Klauss Vianna continuará funcionando normalmente até junho do ano que vem no endereço atual na Avenida Afonso Pena. A reabertura do teatro para a temporada de 2015 acontece no dia 10 de janeiro com o espetáculo “Noturno”, do Grupo de Teatro Invertido, dentro da programação do Festival Verão Arte Contemporânea.

A inauguração do novo Centro Cultural do Oi Futuro na Praça da Liberdade está prevista para 2016. Ele ocupará o Palacete Dantas e o Solar Narbona –. As obras de restauração dos dois prédios e a construção das novas edificações devem começar em fevereiro de 2015. De acordo com o convênio assinado com o Governo do Estado, a utilização do espaço pelo Oi Futuro é de 30 anos, prorrogáveis.

O Oi Futuro fará uma obra de revitalização com modernização tecnológica no Palacete Dantas e no Solar Narbona, mantendo as características do conjunto arquitetônico do início do século XX. No terreno anexo, serão construídos dois novos espaços que abrigarão um novo teatro e o Museu das Telecomunicações.

O Oi Futuro inaugurou seu centro cultural na Avenida Afonso Pena, no bairro Mangabeiras, em 2007, e reinaugurou o Teatro Klauss Vianna em 2009, além de ter aberto duas galerias e um auditório para cinema. Em sete anos, as 555 iniciativas culturais apresentadas no centro cultural do Oi Futuro, entre peças, exposições, mostras de cinema, shows de música e dança, atraíram cerca de 330 mil pessoas.

Construído em 1915, palacete Dantas tem piso de madeira com mosaicos.

Patrimônio histórico do estado de Minas Gerais, e construído em 1915 em estilo Neoclássico, o Palacete Dantas foi obra do engenheiro José Dantas para abrigar sua família.  O prédio é vizinho ao Palácio da Liberdade e à sede da Arquidiocese de Belo Horizonte, o Palácio Cristo Rei.

O projeto do Palacete Dantas é do também engenheiro e arquiteto Luiz Olivieri. A residência foi desenhada com grandes espaços livres e recebeu elementos importados da Europa, como escadarias de ferro da Bélgica e lustres com cristais da Boêmia, e um piso de madeira de árvores brasileiras decorado com mosaicos. O palacete era considerado uma das melhores casas particulares da nova capital, e em 1920 hospedou o Presidente da província de Minas Gerais, Artur Bernardes, durante a visita dos reis belgas à capital mineira, quando eles ocuparam o Palácio da Liberdade.

Anexo ao Palacete Dantas, o Solar Narbona foi construído pelo espanhol Francisco Narbona, no início do século XX. Com períodos de interrupção, a Família Narbona morou no prédio até 1940, que depois abrigou instituições de ensino e a antiga Fundação Estadual do Bem Estar do Menor (Febem).

Oi Futuro em BH vai se conectar aos dois centros culturais do Oi Futuro no Rio

No novo endereço do Oi Futuro em Belo Horizonte, novas atrações serão incorporadas ao acervo interativo, e as atividades do programa educativo do museu serão ampliadas para os jardins do Palacete Dantas e, quando possível, para a Praça da Liberdade.

A área verde do Palacete Dantas será transformada em um Jardim Sensorial, onde os visitantes irão identificar e ouvir cantos dos pássaros em extinção na fauna de Minas Gerais. O jardim será a base das ações estendidas de sustentabilidade do programa educativo na Praça da Liberdade.

As crianças contarão com um espaço só para elas, a Binquedo_tec, onde participarão de atividades artísticas e experimentarão as novidades tecnológicas do setor das telecomunicações, entretenimento, robótica, animação e games.

Uma das maiores novidades será a oportunidade de o público interagir em tempo real com os dois Centros Culturais do Oi Futuro no Rio de Janeiro. Através de instalações multimídias permanentes, denominadas “Lá e Cá”, o público nos dois estados poderá dialogar e ver o que acontece em cada centro cultural.

Teatro terá arquibancadas retráteis e palco desmontável

O novo espaço do Circuito Cultural da Praça da Liberdade contará com um teatro com capacidade para até 180 espectadores, dotado de um sistema de arquibancadas retráteis e palco desmontável, para que a cada espetáculo seja apresentado de modo diferente.

O Museu das Telecomunicações, referência no uso de novas tecnologias a serviço da museografia, será construído no terreno lateral ao Palacete Dantas, atualmente utilizado como estacionamento.

Também serão criadas duas salas-laboratório, com equipamentos de áudio e vídeo, onde os alunos poderão se exercitar no campo das artes, produzindo também seus próprios trabalhos.

A Galeria de Artes Visuais e a Galeria de Artes Gráficas e Fotojornalismo ocuparão andares diferentes, o que permitirá a exibição simultânea de duas exposições distintas, mobilizando um número maior de artistas e projetos. O Cineclube Oi Futuro também continuará exibindo sua seleção mensal de filmes de arte no novo Centro Cultural, em uma sala exclusiva.

Restauração do palacete será feita com tecnologias sustentáveis

Reduzir a poluição e o consumo de energia e facilitar o acesso do público às suas dependências são algumas das metas estabelecidas pelo Oi Futuro no processo de restauração e adaptação do Palacete Dantas e do Solar Narbona, onde serão usadas tecnologias sustentáveis com este objetivo.

Serão instalados painéis térmicos solares e empregados revestimentos fungicida para paredes em ambientes com pouca ventilação, captadores aéreos modulares da água da chuva para abastecer os banheiros e realizar a manutenção dos jardins, e várias outras soluções para isolamento térmico. Além disso, o teatro terá um telhado verde, com a aplicação de vegetação sobre uma camada impermeável.

O centro cultural terá elevadores inteligentes, espaços livres de barreiras que impeçam o acesso aos equipamentos, atendimento especializado em Linguagem Brasileira de Sinais (Libras), planos táteis com a descrição dos espaços, etiquetas e textos com versões em Braille e em tipos ampliados, e serviço especializado de acompanhante para servir de guias às pessoas com deficiência visual e surdo-cegos.

Em sete anos, Oi Futuro BH atraiu mais de 300 mil visitantes

De 2007, quando iniciou suas atividades, até hoje, o centro cultural do Oi Futuro em Belo Horizonte foi visitado por cerca de 330 mil pessoas. No total, foram 236 espetáculos apresentados no Centro Cultural do Oi Futuro em seus sete anos de atividades, além de 39 exposições nas duas galerias. Houve, ainda, 280 mostras de filmes no Cineclube.

Em 2009, o centro cultural reinaugurou o Teatro Klauss Vianna com o espetáculo “Effet Papillon – Cie Countour Progressif”, que integrava a Semana de Artes Digitais (Siana), evento que fez parte das comemorações do ano da França no Brasil. De 2009 a 2010, foram apresentados 236 projetos no teatro, com destaque para duas atrações internacionais, patrocinados pela Oi, através de lei de incentivo do estado de MG: o FID – Fórum Internacional de Dança, e o Festival de Artes Digitais, que ocupou todos os espaços do Centro Cultural.  Ainda em 2010, houve um aumento significativo de atrações no Multiespaço, com projetos como Palavraimagem, Oi Cabeça e Foto em Pauta e a Inauguração da Galeria de Artes Visuais1, com a exposição “Poesia Digital”, do artista Eduardo Kac.

A Galeria de Artes Gráficas e Fotojornalismo foi inaugurada em 2011 com uma exposição internacional: a exposição dos trabalhos do cartunista Plantu, do jornal francês “Le Monde”, em parceria com a embaixada da França. No teatro, o destaque foi o espetáculo “O Menino que vendia Palavras”. Na Galeria de Artes Visuais, a exposição Warhol TV fez grande sucesso de público e crítica, com grande destaque na mídia.

Atualmente, o Centro Cultural do Oi Futuro de  BH, funciona com um teatro, duas galerias de arte e o Museu das Telecomunicações na Avenida Afonso Pena, no bairro das Mangabeiras.