FUTURO

matéria sustentabilidade

Conheça a Rede de Turismo Ambiental Comunidades Tradicionais

22 de dezembro de 2015

O 10º edital do Programa Oi Novos Brasis selecionou o projeto Rede de Turismo Ambiental Comunidades Tradicionais, que tem como objetivo desenvolver o potencial de gestão e a capacidade de comunicação para atividades de turismo ambiental nas chamadas comunidades tradicionais, formadas por grupos como o Quilombo da Fazenda e a aldeia indígena guarani Boa Vista de Ubatuba, para promover subsistência e sustentabilidade.

A Associação Cultural Comunitária Gaivota (ACCG), idealizadora e executora do projeto, foi criada por produtores culturais, músicos, artesãos, professores, jornalistas,  há 17 anos, com a proposta de gerar o desenvolvimento do turismo ambiental de forma autogerida.  “A ideia [do projeto] surgiu em conjunto com lideranças das comunidades, por meio de um diálogo aberto, para promover a gestão e comunicação”, explica Thalita Maiani, coordenadora de comunicação do programa.

O turismo é a principal fonte de subsistência das comunidades tradicionais da região, mas a falta de conhecimento sobre as possibilidades de gestão, comunicação e promoção de suas ações restringia o seu desenvolvimento. Por esse motivo, o projeto trabalha na ampliação da atuação dos grupos que vivem na área, para que, a partir de suas próprias capacidades, possam ampliar o turismo e torná-lo uma fonte de subsistência.

Até o final de 2015, conclui-se a primeira fase do projeto, que consiste em promover a valorização do turismo ambiental e dos saberes sobre preservação e sustentabilidade das comunidades em seus respectivos biomas.

“A segunda fase, que se inicia em 2016, tem como objetivo a criação de um comitê que trate diretamente dos interesses das comunidades com representantes locais, para auxiliar as ações de sustentabilidade e continuidade do projeto”, diz Maiani.

Os moradores da região aprovam o projeto, ao qual estão diretamente ligados, participando de oficinas e rodas de conversa. Altino dos Santos, Cacique da aldeia Boa Vista, comenta a relevância do projeto: “Produzimos artesanato aqui dentro da aldeia. Queremos apresentar nossa área cultural, e isso é muito importante”.