FUTURO

Fotos Emannuel Pinheiro (11).jpg (634×876) - Google Chrome

DONA VALDETE E AS “MENINAS DE SINHÁ”

26 de dezembro de 2013

Conheça a história de Dona Valdete Cordeiro, ex-empregada doméstica que conseguiu levar a felicidade às mulheres do Alto Vera Cruz, na periferia de Belo Horizonte. Seu belíssimo trabalho sociocultural, desenvolvido há quase 20 anos, eleva a autoestima das “Meninas de Sinhá”, que agora gravam o primeiro DVD, em show no Oi Futuro.

 

OF. O que a levou a criar o Grupo Meninas de Sinhá?

Dona Valdete. A princípio, a única ideia que eu tinha era que eu precisava fazer algo, me mover de alguma forma, ajudar as minhas vizinhas que saíam do posto de saúde com sacolas de remédio antidepressivos, isso me incomodava demais! No fundo eu sabia que elas não precisavam de tantos remédios e, os problemas que elas tinham com filhos e maridos era comuns a praticamente todas. Então pensei: se uma falar com a outra o problema que tem, talvez possamos nos ajudar…

 

OF. Com um trabalho de sustentabilidade sociocultural, a senhora conseguiu atingir centenas de mulheres idosas, da periferia, dando a elas um novo rumo em suas vidas. Foi difícil?

Dona Valdete. Foi muito difícil, algumas falavam comigo –  minha filha eu não tenho tempo pra conversar não, eu tenho roupa pra lavar, menino e marido pra cuidar, comida pra fazer etc etc – mas todos os dias eu ia lá no posto de saúde do bairro e chamava com paciência, até que consegui quatro mulheres. Cada uma foi falando que era bom, que tava melhorando e foram chamando outras. Chegamos a ser um grupo de 50 mulheres. Contávamos a nossa vida e nossos problemas umas pras outras, fazíamos artesanato e algumas até vendiam essas coisas. Mas como eu não gostava de ficar parada, pensei em acrescentar às reuniões algo de movimento pro corpo, daí saí à caça de algo que me deixasse mais alegre com o trabalho. Foi daí que conheci a expressão corporal, uma ginástica que envolvia música e movimento corporal, principalmente, para mulheres maduras ou idosos, adorei! Tive uma professora muito boa, a Dedé, cedida pela PBH, que ficou conosco durante seis meses e me ensinou muito.

 

OF. A expressão corporal e a música são dois instrumentos básicos desta trajetória. Como acontece esta preparação entre as Meninas de Sinhá?

Dona Valdete. Depois que inserimos a expressão corporal nas reuniões deu um outro rumo ao grupo de mulheres, elas se animaram mais e também estavam se cuidando mais. Apresentamos a ginástica em muitos lugares e me lembro que naquela época, 1989,  não existia nada na cidade envolvendo os idosos. Foi com o trabalho de Meninas de Sinhá que muita gente se espelhou e passou a ter cuidado com o idoso. A música também entrou porque eu sempre fui muito moleca e brinquei muito na minha infância e adolescência. Então, um dia, a gente tirava pra brincadeiras antigas como passa-anel, rouba bandeira e outras, e depois inserimos as cantigas de roda. Daí percebi que a roda estava presente nas memórias delas, elas gostavam muito, e sugeri que promovêssemos a difusão das cantigas de roda e brincadeiras nas escolas e creches.

As mulheres se sentiram tão valorizadas, que muitas com problemas psíquicos e físicos trocaram a dor e o sofrimento por alegria. Mulheres que melhoraram de depressão profunda, dores fortes no corpo, e até de problemas psíquicos graves. Os problemas continuam, mas, nossa união, a música e nosso objetivo continuam fortes.

 

OF. As Meninas de Sinhá aprenderam a viver e a aproveitar a vida. E a senhora, se considera uma pessoa feliz?

Dona Valdete. Nossa! Sou muito feliz! E o grupo me ajudou muito nisso, aprendi a conviver melhor, a ouvir e fingir que não ouvi..rsrs,  a respeitar a opinião diversa da minha. Eu gosto tanto quanto visitamos um asilo, ou uma creche ou até mesmo uma penitenciária, acho isso tão importante, levar alegria pra quem necessita. Tivemos tantas surpresas com estes mais de 17 anos de história, tantos reconhecimentos, prêmios, CD´s, shows, viagens, livros. Meu Deus do céu,  e agora um DVD! Porém,  o que mais me alegra é ver que tudo que eu fiz deu resultado pra todas as mulheres que participaram e ainda participam do grupo Meninas de Sinhá. Todas são vencedoras!

 

OF. O grupo já gravou dois CDs e lança agora o primeiro DVD no Oi Futuro. O que o público pode esperar desta apresentação?

Dona Valdete. O DVD Meninas de Sinhá não será um DVD comum, só de músicas, ele conta nossa história, nossa essência. As pessoas vão compreender como pensamos, como é o nosso mundo sociocultural.  Você sabe que é muito diferente alguém ouvir uma música e ver a imagem do cantor. Então este DVD quer mostrar pra todo o mundo o que é Meninas de Sinhá e acredito que estamos conseguindo. Já gravamos na Praça 7, no Hospital da Baleia, na Feira das Flores e também no nosso próprio bairro. Foi uma coisa linda e muito emocionante ver que nossa própria comunidade acredita no nosso projeto e nos apoia. Pra mim não há alegria maior em ver crianças, jovens e velhos levantando as mãos e cantando “Tá Caindo Fulô”. Enfim, acho que todos vão se emocionar assim como estamos emocionadas com este trabalho e com todas as pessoas que de alguma forma nos ajudaram.