FUTURO

Bruno Gomes_A Terra que nós somos_4

Exposição interativa une arte indígena com tecnologia

25 de julho de 2018

Já imaginou obras interativas cocriadas a partir de intercâmbios de expressões culturais entre indígenas de diferentes povos e artistas do Brasil, Reino Unido e Bolívia?

“Arte Eletrônica Indígena (AEI): uma exposição interativa” uniu indígenas e artistas em nove comunidades indígenas da Bahia, Alagoas, Pernambuco e Sergipe. A abertura da exposição será no dia 2 agosto até o dia 2 de setembro, das 13h às 18h, no Museu de Arte Moderna da Bahia.

As obras tratam da reivindicação de terras, da preservação da memória e do diálogo entre gerações, destacando também a cultura indígena na música, na fotografia, no vídeo, na cartografia dos sons, na escultura, na tecelagem, na colagem digital, nas pinturas rupestres, na projeção eletrônica da pintura corporal entre outras manifestações artísticas.

Muitas das iniciativas selecionadas abordam linguagens artísticas ainda não nomeadas, expressões híbridas, fusão de suportes, e a convergência das tecnologias analógicas e digitais, potencializando a expressão da vida.

Cada artista selecionado fez uma residência artística dentro de uma das nove aldeias, ofertando, por meio da parceria com o Ponto de Cultura Indígena que funciona em cada comunidade, oficinas e ou laboratórios para promover as expressões artísticas dos indígenas e convidando-os para a criação transcultural.

“O AEI provocou os artistas que fizeram as residências a saírem do lugar comum e pensar de forma mais colaborativa e criativa. É um desafio e uma diversão trabalhar num projeto tão rico em criatividade e provocações“, ressalta o produtor executivo do AEI, Tiago Tao.

 

Confira aqui as Residências Artísticas.