FUTURO

Duelo de MCs Nacional - A Grande Final - Foto Pablo Bernardo (172) (1)

PEDRO VALENTIM E O DUELO DE MCs

25 de setembro de 2014

Quando a arte conquista seu espaço

 

Pedro Valentim  é MC da cultura Hip Hop, jornalista e integrante da Família de Rua, coletivo de Belo Horizonte que, desde 2007, atua na cidade promovendo ações que ocupam o espaço público com as manifestações do Hip Hop e do Skate, entre as quais estão os projetos “Duelo de MCs” e “Família de Rua Game of Skate”. Caracterizado por manifestações artísticas que incluem música, rimas, dança e arte urbana, o Duelo vem revelando dezenas de artistas, e vários deles são conhecidos nacionalmente por suas rimas, participando de disputas em todo o país.

 

Em outubro, o teatro do Oi Futuro recebe “Uma Batalha de Todos Nós”: artistas de BH  fazem show em prol do Duelo de MCs Nacional 2014, que este ano aposta na arrecadação coletiva para realizar mais um encontro nacional de Hip Hop na capital mineira.

 

OF. Em 2007, o Duelo de MCs era apenas um grupo de amigos, que se reunia pela diversão da música. Hoje se tornou um dos principais movimentos de rua no Brasil. Como aconteceu esta bela trajetória?

 

PV. Na verdade as coisas aconteceram de forma muito natural, mas sempre com muita luta. Nós sempre buscamos fazer o Duelo e todas as nossas ações com verdade, nos entregando de corpo e alma. E talvez isso seja o que mais toca as pessoas. Desde sempre a proposta foi criar um ambiente de encontro da cultura Hip Hop no centro de BH e quando nos descobrimos no Viaduto Santa Tereza começamos a brigar por aquele espaço, e ele foi se transformando e alcançando gente na cidade inteira e depois Brasil afora.

 

OF. Qual a principal proposta do movimento?

 

PV. O que nos move desde o início é levar as raízes do Hip Hop para o espaço público da cidade e criar este lugar de encontro. É manter o fôlego do Hip Hop vivo. Transmitir as verdades dessas artes para o máximo de gente possível. É a celebração, a convivência, a troca, o aprendizado.

 

OF. Quem são os frequentadores do Duelo de MCs?

 

PV. De uma forma também muito natural o Duelo de MCs se tornou um espaço de acolhimento da diversidade mesmo, com a presença de gente das mais variadas idades, dos mais diferentes regiões de BH e região metropolitana. Para comprovar isso temos o resultado de uma enquete aplicada pela Real da Rua (projeto de ampliação do diálogo e das falas do público do Duelo) junto ao público do Duelo que registra a presença de mais de 90 bairros da cidade entre os frequentadores do encontro.

 

OF. É a primeira vez que o Duelo se apresenta no Oi Futuro? O que o público irá encontrar de especial?

 

PV. Para essa ocasião estamos planejando um encontro de músicos da cidade com os MCs do Duelo, um novo desafio além das batalhas as quais eles já estão acostumados. O mais especial de tudo é que esse será um momento no qual diferentes artistas de Belo Horizonte, para além da cultura Hip Hop, se encontram pra fortalecer o Duelo de MCs e a nossa luta pra conseguir viabilizar a terceira edição do Duelo de MCs Nacional.

 

OF. Como você situa a cultura hip-hop em BH?

 

PV. O Hip Hop em BH tem se fortalecido mais a cada ano. Hoje temos uma cena de união como não se via algum tempo atrás. É bonito ver diferentes gerações da cultura Hip Hop na cidade trabalhando juntas, desenvolvendo conexões e caminhando coletivamente. Ainda precisamos caminhar bem nas discussões sobre um mercado do Hip Hop, profissionalização dos processos e outras questões. Mas acredito que temos conquistado espaços importantes nos últimos anos.