FUTURO

GRACIELA_02 FINAL

TEATROS OI FUTURO TERÃO SESSÕES ACESSÍVEIS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

21 de maio de 2014

Os teatros Oi Futuro no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte contam a partir de abril com uma sessão mensal do projeto Teatro Acessível, que tem como objetivo fazer sessões inclusivas para pessoas com deficiência.

Uma vez por mês, os espetáculos em cartaz no Oi Futuro serão adaptados com os recursos de acessibilidade, sem que o público tenha que pagar a mais por isso. A Lavoro Produções, empresa pioneira na criação de projetos culturais com acessibilidade, faz a produção do projeto, que conta com os recursos de audiodescrição, legendas closed caption e interpretação em LIBRAS, a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). Além disso, os programas das peças ganham uma versão em Braile.

Assim, ficam contempladas as pessoas com deficiência auditiva, visual (cegos e pessoas com baixa visão), intelectual, com síndrome de Down, autistas e disléxicos.

“Entramos na programação já existente no teatro para proporcionar às pessoas com deficiência melhor acesso à vida cultural”, explica a coordenadora da Lavoro Produções, Lara Pozzobon, que idealizou o projeto junto com a especialista em audiodescrição Graciela Pozzobon.

A audiodescrição é um recurso que consiste na descrição clara e objetiva de todas as informações que compreendemos visualmente e que não estão contidas nos diálogos, como, por exemplo, expressões faciais e corporais, informações sobre o ambiente, figurinos, efeitos especiais, mudanças de tempo e espaço, etc., possibilitando que a pessoa desfrute integralmente da obra, seguindo a trama e captando a subjetividade da narrativa.

O projeto Teatro Acessível chega ao Oi Futuro depois de ter cumprido temporada de um ano no Teatro Carlos Gomes, no Rio de Janeiro. A boa repercussão traz uma grande expectativa para a temporada de um ano do projeto no Oi Futuro.

“Conseguimos criar um público cativo e que vai crescendo a cada edição; um público interessado, que sabe o que gostaria de assistir. Percebemos que é um processo de construção, um trabalho crescente e progressivo e que as pessoas com deficiência estão abertas a isso”, avalia Lara Pozzobon.

“O Oi Futuro tem um posicionamento pioneiro no Brasil na promoção da acessibilidade à cultura de pessoas com deficiência, seja apoiando projetos que atendem a esse público, seja investindo na acessibilidade arquitetônica e informativa de seus centros culturais”, afirma o gerente de Cultura do Oi Futuro, Roberto Guimarães. “Iniciamos o projeto Acessibilidade no Teatro Klauss Vianna, em Belo Horizonte, e no Rio de Janeiro, no Oi Futuro Flamengo, reafirmando a vocação do instituto de responsabilidade social da Oi para a democratização do acesso à cultura e à valorização da diversidade”, completa o gerente

 

 

Mais informações acesse aqui.