FUTURO

Labsonica-®Renata Mello_F3-5434

Oi e Oi Futuro lançam o LabSonica para estimular inovação e experimentação sonora e musical

5 de setembro de 2017

  • Novo laboratório de cultura do Oi Futuro terá estúdios de gravação, coworking para selos e gravadoras independentes, oficinas de DJ e sound design, ambiente para ensaios e shows intimistas;
  • Bandas, músicos, produtores, artistas plásticos, empreendedores e desenvolvedores tecnológicos da área serão selecionados para o programa por meio de editais públicos.
  • Oi Futuro disponibiliza primeiro edital de residência artística do LabSonica para consulta pública.

Rio de Janeiro, 4 de setembro de 2017 – A Oi e o Oi Futuro lançam nesta segunda-feira o LabSonica, laboratório de experimentação sonora e musical, um novo espaço para fomentar a criatividade e a inovação no campo do som e da música. Com sede no Flamengo, o LabSonica será ponto de encontro de criadores de diversas áreas e vai oferecer a infraestrutura necessária para que bandas, músicos, produtores, pesquisadores da arte sonora, gravadoras independentes, desenvolvedores e outros talentos realizem seus projetos sonoros e viabilizem produções independentes.
Os participantes serão selecionados por meio de editais públicos. O primeiro edital de residência está disponível para consulta pública a partir desta segunda no site do Oi Futuro.

“O LabSonica é uma plataforma de lançamento de novos criadores, cantores, bandas e festivais, consolidando a vocação do Oi Futuro de catalisador das novas linguagens contemporâneas”, diz Roberto Guimarães, gestor de Cultura do Oi Futuro. “O programa reafirma a crença do Oi Futuro no valor e na potência das ideias coletivas, na reaproximação das pessoas, no estímulo à troca e no compartilhamento de olhares e vivências.”

Espaço terá estúdio, salas de ensaios e coworking de gravadoras

O LabSonica vai ocupar um espaço no prédio administrativo do instituto Oi Futuro, na Rua Dois de Dezembro, no Flamengo, e vai oferecer suporte técnico e estrutura física para produção musical, estúdio de gravação, arte sonora, salas de ensaio, espaço maker, oficinas de DJ e de sound design, workshops e pocket shows, além de um espaço de coworking para selos e gravadoras independentes, facilitando a troca entre os profissionais. A proximidade com o centro cultural Oi Futuro propiciará um diálogo direto do projeto com a programação, potencializando a comunicação com seu público e aproveitando equipamentos, materiais e expertise. O estúdio tem projeto assinado pelo produtor musical Rodrigo Vidal e o engenheiro de gravação Carlos Duttweller. Tudo em um ambiente criado para estimular a produção colaborativa, o encontro entre talentos e a inovação.

“Queremos atrair artistas, produtores e pesquisadores para ocuparem nosso novo espaço, onde terão condições privilegiadas para desenvolverem ideias originais, trocarem entre si e reverberarem seus projetos para a cidade”, explica Roberto Guimarães.

O LabSonica atuará também na curadoria da programação cultural do Oito, espaço de inovação e empreendedorismo que a Oi lançou recentemente no Rio. Entre as iniciativas já confirmadas para o espaço por meio do LabSonica estão atrações dos festivais RC4 e Novas Frequências.

Programação

A ocupação artística do centro cultural Oi Futuro começa às 18h desta segunda-feira e tem as seguintes atrações confirmadas:

· Shows:

ALICE CAYMMI e RELÓGIO DE DALI, às 20h30;
COMBO CORDEIRO e KEILA, às 21h45, ambos com curadoria dos festivais A.Nota e Levada (Teatro);

· Mesa sobre a cadeia produtiva da Música, às 18h30:

Participantes: Lucas Santtana (cantor e compositor), Leo Feijó (Secretaria de Cultura do RJ), Martin Giraldo, do Red Bull Station, Fernanda Paiva, da Natura Musical, e Fabiana Batistella, da SIM (Semana Internacional De Música). Mediação: Rodrigo Lariú, jornalista e fundador do selo Midsummer Madness. (Teatro)
· No nível 2, performance dos artistas KINKID E DIEGO BRAGANÇA, com curadoria de de Batman Zavareze, do festival Multiplicidade;

· No nível 4, instalação do COLETIVO CÃO, com curadoria de Chico Dub, do Festival Novas Frequências;

· No nível 5, game site onde o público pode experimentar os sete games finalistas da categoria som do BIG Festival (Brazil’s Independent Games Festival);

· No nível 6 (Museu das Telecomunicações), JAMSONICA, atividade interativa em que o público pode criar seus próprios sons usando o Theremin e outras peças do acervo do museu;

· No térreo, os DJs JP Cuenca e Julia Wähmann;

· No pátio, a artista Chiara Banfi apresenta a obra “Ebu d’água”, em que propõe um diálogo entre som e arquitetura;

· O encerramento terá uma performance da poeta e artista visual Lenora de Barros.